Blog do Menon

Arquivo : mateus

Tadeu breca evolução do Corinthians
Comentários Comente

menon

Desta vez, o Corinthians não fez um gol no jogo. Fez zero. E perdeu o jogo que dominou totalmente, após sofrer o gol da Ferroviária aos cinco minutos do segundo tempo. Apesar da derrota, houve uma evolução em relação ao 1 a 1 contra a Ponte, quando o Corinthians teve sete finalizações, duas corretas. Em Araraquara, foram 14 – o dobro – oito certas e seis erradas. O goleiro Tadeu foi um grande obstáculo para as pretensões do Corinthians. Fez muitas defesas.

A Ferroviária lutou muito. Acuada, marcou forte, conseguindo 24 desarmes contra dez do Corinthians. Cometeu 16 faltas e sofreu dez. Nos minutos finais, enfim, conseguiu sair de seu campo e alojou-se, como um membro do MTST, no lado corintiano. Bem do lado. Praticamente no escanteio. Ficou ali trocando passes, sem nenhuma vontade de arriscar um chute. Jogou com o relógio.

Bem, se de números estamos falando, há um outro que ajuda a explicar a derrota corintiana. O time fez 35 cruzamentos, acertando apenas oito. Buscou muito a bola alta para Jô. Abdicou de outras opções.

Mas, de toda maneira, criou chances, o que pouco acontecia antes. Ponto positivo. Negativo? A atuação de Gabriel, sonolento ao perder a bola que resultou no pênalti.

Sabe a história do copo com vinho pela metade? O corintiano otimista pode dizer que o time evoluiu e criou chances. O pessimista pode dizer que falta muito. Afinal, o time evoluiu e perdeu.


Schmidt, Casemiro, Marquinhos….Viva a incompetência!
Comentários Comente

menon

joaoximitJoão Schmidt ganha R$ 60 mil. O São Paulo ofereceu R$ 120 mil. O jogador não aceitou e comunicou que irá jogar na Itália daqui a seis meses. E que já fez uso da prerrogativa que a lei lhe dá para assinar um pré contrato com o Atalanta. Tudo muito simples. Tudo dentro da normalidade. O que o São Paulo poderia fazer? Nada. O jogador quer sair e sairá. Já saiu. Nada a criticar.

Mas, e lá atrás? Quando João Schmidt ainda se chamava João Felipe e era, ao lado de Rodrigo Caio, uma joia de Cotia? Quando participava de seleções de base? Ali, no nascedouro da carreira, não houve nenhum avaliador pago pelo clube para ver que o volante canhoto e de bom passe tinha potencial para se transformar em um jogador de alto nível?

Ninguém viu. Nem quando ele voltou de Portugal cheio de boas referências. Talvez quando houve uma oferta do Avaí? Mas aí, já era tarde demais. O jogador se vai no momento melhor da carreira no clube. Com mercado no Exterior. Vai, leva seu futebol e nenhum mísero centavo de guarani paraguaio entra nos cofres do clube.

O São Paulo está propondo 1,1 milhão de dólares por 50% dos direitos de Cristián Coman (quem?) e não recebe nada por Schmidt.

Os clubes brasileiros administram muito mal suas categorias de base. Gastam dinheiro em jogadores que não analisam e cujo potencial não é notado.

A base revela cinco tipos de jogadores:

1) Para as grandes ligas: gente como Lucas, Neymar, Gabriel Jesus etc

2) Para a China

3) Para as ligas médias ou clubes médios de grandes ligas

4) Para o próprio clube: Jean é o maior exemplo. Nunca joga mal. Ficou cinco anos de graça no São Paulo. Quanto Flu e Palmeiras pagara por ele?

5) Para clubes menores: Nathan, no Criciuma, William Arão na Portuguesa…(antes de estourar no Flamengo).

O clube grande pode perder jogadores, ninguém está obrigado a acertar sempre: Rivellino treinou no Palmeiras, Telê recusou Ronaldo Fenômeno etc etc.

O clube pode perder alguém que foi fazer teste, que estava mal no dia, acontece. Mas, depois que o jogador está na base, está fazendo sucesso, precisa render dinheiro. Em uma das cinco opções que coloquei.

Não pode errar como o São Paulo errou com João Schmidt.

Não pode errar como errou com Casemiro. Quantos técnicos passaram no São Paulo e não conseguiram definir a posição ideal de Casemiro? É volante, é segundo volante, é meia, é zagueiro… Chegou na Europa e se achou.

Engraçado é a torcida culpar o jogador e não o erro de avaliação de outros profissionais. Corporativamente, acham que um crítica à uma avaliação errada é ao clube e não a um profissional.

Preferem culpar o jogador. Dizem que Casemiro é mascarado, que gostava de balada. Que tinha inveja de Lucas. Não se lembram que ele se recusou a fazer com o clube o mesmo que Oscar fez.

E se fosse mascarado? E se gostasse de balada? Que erro, não? Com 20 anos e gosta de balada… Só rindo.

Com tudo de errado sendo verdade, o clube errou na avaliação. Não viu que tinha nas mãos um jogador para 40 milhões de dólares.

E o Corinthians, que perdeu Marquinhos de graça para o futebol da Europa? O cara jogou 14 partidas e foi para a Roma por R$ 8,2 milhões. Depois de 30 jogos na Itália, foi para  o PSG por 31 milhões. De EUROS.

E Fagner, que fez oito jogos e foi para a Holanda, deixando um bye bye de recordação.

Michael Beale, o auxiliar inglês de Rogério Ceni, disse que não há jogador melhor que o brasileiro. E o sul-americano.

São joias. Muitas vezes os clubes não percebem como podem ser valiosas.

picadinhomenon

JÁ VAI TARDE – Bernardinho é um grande treinador, é um líder, glorificou o vôlei do Brasil. É campeão olímpico. Concordo com tudo, mas escalou a seleção para entregar um jogo. O Giba contou. Ah, quem vai substituir Bernardinho? O Renan. Não sei se vai ser melhor ou pior, mas se entregar um jogo terá o meu desprezo, como já tem o Bernardinho.

AUTÔNOMOS DA FIEL – Quarta à tarde, possivelmente depois de uma feijoada, os fiéis vão ao Centro de Treinamentos, que é muito longe, fazer pressão sobre um técnico inexperiente que terá honra de dirigir um dos grandes clubes do mundo. Colocar pressão sobre uma diretoria que luta contra a falta de dinheiro. A atitude é imbecil, mas o que me incomoda é a disposição de tempo. Ninguém da turma trabalha? Os patrões permitem a falta? Ou são todos autônomos, todos pejotinhas?

CHUTEIRA F.C – Quero convidar vocês o CHUTEIRA , um site comandado por gente muita talentosa. Companheiros de tantos anos de estrada, quando a gente era jovem, bonito e matador do JT. Prósperi, Guto e Mateus são referência, com currículos brilhantes. Baptistão é só o melhor chargista do mundo. Luiz Ruffato é um escrito talentosíssimo. Chico Bicudo faz crônicas inolvidáveis, E tem ainda Eduardo Castro, nosso enfant terrible, Carles Martí, Chico Maia e Zé Edu, o melhor editor com quem eu não trabalhei.

 

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>