PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Menon

Corinthians tem tudo para golear o São Paulo na decisão

Menon

14/07/2013 18h23

O São Paulo escapou da goleada contra o Vitória. Renato Cajá, que fez uma boa partida, perdeu um gol feio e também um pênalti. Na quarta-feira, decisão de Recopa e o Corinthians pode fazer o que os baianos não conseguira: humilhar o São Paulo.

E todo mundo sabe que o Corinthians não está bem como no ano passado. Tite tem demorado para acertar o time, está faltando aquele conjunto que sempre foi a marca do time. Tanto que perdeu para o Galo reserva no Pacaembu.

Mas quem precisa de conjunto para vencer o São Paulo? É muito repetitivo falar sobre o time que Juvenal montou. Um exemplo mostra tudo. O único lateral esquerdo do elenco que não foi dispensado é Reinaldo, que ninguém conhece. Os outros são Juan, dispensado do Santos e do próprio São Paulo, Clemente, dispensado pelo Boca, Carleto, dispensado pelo São Paulo. Tinha o Cortez, dispensado pelo São Paulo e que agora está no Benfica.

E nem precisávamos viver no mundo globalizado de hoje para que a notícia corresse. Até no tempo do sinal de fumaça ou de pombos-correios, seria possível saber que Juan, o dispensado que jogou neste domingo, é muito fraco. E a primeira bola do Vitória foi um lançamento de Cajá para Maxi nas costas de Juan.

Maxi fez dois gols.

Para golear o São Paulo não precisa de muita coisa não. É só se fechar na defesa e sair com bolas rápidas. Quem fizer isso vai encontrar volantes que marcam mal ou que são descontrolados, como Wellington. Dá dó ver um jogador que pintou como revelação entrar em campo para gritar e dar pancada. Foi expulso por fazer um pênalti ridículo e reclamar. E por uma falta na lateral do campo.

Atrás dos volantes, o ataque adversário encontrará a pior zaga do São Paulo dos últimos dez anos. Basta lembrar das aulas de análise combinatória. Com os cinco zagueiros do São Paulo: Lucio, Edson Silva, Toloi, Paulo Miranda e Rhodolfo é possível formar dez duplas diferentes. Aventure-se. As dez são do nível de Jean e Júlio Santos.

Na lateral direita, há Douglas, muito criticado por não saber marcar. Inclusive por mim. Ele não está jogando e os gols continuam saindo. É só lembrar o jogo contra o Santos.

E o martírio continua: Ganso não faz uma boa partida há tempos, Luís Fabiano é uma farsa nos últimos tempos, Osvaldo só jogou bem e Aloísio, a esperança da torcida, é um atacante baixinho e forte, com apelido de Boi Bandido.

Com um pouco de sorte, aplicação e inspiração, o time de Tite pode golear facilmente na quarta.

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Menon