Blog do Menon

A prancheta voadora de Rogério não tem culpa. Problema é muito maior

Menon

Vocês acreditam mesmo que Rogério Ceni, com tantos anos de futebol, com todo o preparo que tem, ficaria tão nervoso no intervalo de um jogo a ponto de jogar uma prancheta ou outro objeto no chão, após um acesso de raiva?

Eu acredito.

E o Cuca?

Também acredito.

Carille? Dorival? Estevam Soares?

Sim. Sim. Sim.

Luxemburgo? Zé Ricardo? Abel?

Acredito?

Papa Francisco? Dalai Lama?

Sem nenhuma dúvida.

É do jogo. Pertence ao futebol.

É um mundo diferente, com seus próprios códigos? Será tão diferente assim? Vejo pranchetas e ipads voando em reuniões de pauta, no Ministério (qualquer um) reunido.

A prancheta voadora, na verdade um outro objeto, um confirmada por Jucilei e Cícero é apenas um reflexo da atual crise técnica do São Paulo. Epa, mas o caso foi no intervalo do 2 a 0 contra o Corinthians, antes da crise. Pode até marcar o início da decadência, mas não existia ainda a crise atual.

O que não existe, acredito, por total desequilíbrio de forças é um racha no elenco, com Cícero de um lado e Ceni do outro. O team Cícero seria massacrado.

O fato existiu. Não é fofoca. É bastidor e deve ser divulgado.

O resto é ilação. Teria o caso da prancheta causado ou influenciado a queda técnica que se seguiu?

Não acredito porque ela é grande demais. Não há prancheta voadora que a justifique. Tem causas muito mais graves e que devem ser analisadas pelo São Paulo e por Ceni. E logo, caso contrário, não haverá prancheta, computador ou programa científico algum que faça o time melhorar rapidamente.