PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Caos no Sócio Torcedor? São Paulo responde a questionamento

Menon

14/08/2017 16h20

Luis Roberto Demarco, sócio do São Paulo, procurou o blog com várias reclamações a respeito de como é difícil conversar com a diretoria de comunicação e marketing do São Paulo e com o presidente Leco. Fez um grande relato que publico no final do post.Há uma denúncia que considerei mais grave, que trata de suposto mau gerenciamento do programa sócio torcedor e que pode estar trazendo prejuízo ao clube.

Reproduzo aqui.

5) No dia 25 de Julho de 2017, recebi uma comunicação padrão do Relacionamento Sócio Torcedor, afirmando que "devido a um imprevisto sinalizado pelo banco, não foi possível realizar o débito do cartão de crédito". Imagino que esse email tenha sido enviado para TODOS OS SÓCIOS TORCEDORES. Ou seja, a Diretoria de Marketing e Comunicação do SPFC perdeu os dados do cartão de crédito dos STs??? Isso, além de colocar em dúvida a segurança financeira dos STs que depositam no São Paulo a informação CONFIDENCIAL dos seus cartões de crédito, obviamente sinaliza que o SPFC deve ter sofrido um ABISMO FINANCEIRO na receita do Sócio Torcedor, uma vez que esse pagamento é como aquele dízimo de igreja ou mensalidade de clube ou assinatura de jornal ou contribuição para uma casa de caridade, que pagamos mensalmente sem revisar ou questionar. Muito provavelmente mais da metade dos Sócios Torcedores NÃO COLOCARAM novamente seus cartões de crédito, e a INCOMPETÊNCIA desse Diretor provocou um prejuízo absurdo ao clube (vide anexo o email padrão enviado pelo SPFC).

Procurei o departamento de comunicação no dia 9 de agosto. Enviei as perguntas que achei necessárias. Eram as seguintes, com as respectivas respostas:

1) Qual foi o imprevisto sinalizado pelo banco?
O comunicado não foi enviado devido a falhas, como afirmado levianamente. O SPFC não perdeu os dados bancários de seus sócios torcedores porque nem mesmo os possui – tais informações são sigilosas e de posse da operadora, não do clube. O e-mail enviado se trata de um comunicado padrão para sócios cujos cartões de crédito foram rejeitados por algum motivo (cartão expirado, estouro do limite, etc).

2) Por que foi mandado um e-mail geral e não e-mails individuais?
Comunicações distintas foram enviadas a sócios que deixaram voluntariamente o programa nos últimos anos, torcedores que vieram ao estádio nos últimos anos, mas nunca foram sócios torcedores (algo que nunca havia sido feito) e àqueles cujas operadoras de cartões de crédito negaram autorização de cobrança. O programa também procurou o associado outras duas vezes, em dezembro de 2016 e julho de 2017, pedindo, como o faz sazonalmente, para atualizar os dados do cartão de crédito.

3) Houve alguma queda de receita devido ao problema sinalizado pelo banco?
Não há problema algum. Portanto, é absurda a premissa. Esse procedimento é rotineiro e tem como objetivo justamente manter a base ativa e contribuindo com o programa.

4) Houve queda no número de sócios torcedores?
Apenas nos últimos três meses, mais de 1,5 mil novos ST se cadastraram. O programa está crescendo.

5) Qual o valor de mercado de um "by Orbium" nas placas e imagens relacionadas ao Sócio Torcedor?"
Uma vez que o serviço foi oferecido gratuitamente ao São Paulo – ainda que essa suposta generosidade tenha sido atrelada a condições esdrúxulas, como mostram os e-mails anexos -, o valor é zero.

A última resposta deve-se a outras perguntas e argumentações de Demarco, como se vê abaixo. Refere-se ao item dois. No final da exposição de Demarco, há a resposta total de Marcio Aith (NOTA DO BLOG)

AQUI, A CARTA DE LUIS DEMARCO

1) Em 3 de Março de 2015, às 18 horas, fiz uma apresentação ao São Paulo de um novo projeto de Sócio Torcedor. Na apresentação estava presente toda a Diretoria do SPFC à época ( Carlos Miguel Aidar, Julio Casares, Douglas Schwartzmann, Ruy Barbosa, Serafim, Vinicius Pinotti, etc ). Anexo o email do dia seguinte, com a apresentação. Dessa idéia surgiu o NOVO SÓCIO TORCEDOR do SPFC, que levou o clube a mais de 110 mil STs contra 30 mil existentes naquele momento, o maior crescimento entre todos os clubes brasileiros, apesar da pouca performance futebolística do time. É fácil ver nas características do Programa hoje TODOS os pontos que foram trazidos por mim na apresentação inicial. Participei ainda SEMANALMENTE da implementação do Sócio Torcedor nas gestões da Diretoria de Marketing do Douglas Schwartzmann e posteriormente do Vinicius Pinotti. Além disso, a plataforma de software que suporta o Sócio Torcedor do SPFC é a ORBIUM, minha empresa, e o São Paulo NUNCA PAGOU UM CENTAVO pela utilização do software, que custaria cerca de 1 milhão de reais e somente em custos que eu assumi, cerca de 300 mil reais ( custos de servidor, pessoal, base de dados, etc, que estão sendo consumidos e o SPFC nunca pagou um centavo ).

2) Em Maio de 2017, face à crise que assola o país e uma parceria que a ORBIUM está fazendo com a Prefeitura de São Paulo para cuidar de áreas verdes, fui questionado internamente na empresa qual a razão que nós estávamos demitindo pessoas e o São Paulo não somente não pagava nada pelo software utilizado, como também não assumia os custos gerados para a empresa, e não oferecia nenhuma contrapartida de visibilidade ou imagem para um parceiro. Ou seja, meus funcionários, não todos obviamente SãoPaulinos, de forma correta insinuavam que, na empresa onde preconizo a MERITOCRACIA, haveria um "favorecimento pessoal" ao São Paulo. Com base nisso procurei os senhores Marcio Aith e Alan Cimerman com uma idéia muito simples que seria a exposição de um "by ORBIUM" nas placas e imagens relacionadas ao Sócio Torcedor. No jogo São Paulo 2 x 0 Palmeiras, tirei uma foto de uma placa a partir das cativas, fiz uma pequena arte com o "by ORBIUM" e enviei para a Diretoria do São Paulo com o pedido de que isso pudesse ser uma pequena contrapartida de tudo o que fizemos pelo clube, de forma que eu pudesse justificar dentro da minha empresa os gastos realizados com o São Paulo, que realmente tinham uma ligação com a minha vontade pessoal de ajudar o meu clube.

3) Durante Maio e Junho de 2017 tentei por INÚMERAS vezes conversar com o Sr. Marcio Aith, que possui um whatsapp sem foto e sem marcação indicando se leu a mensagem ou não, algo bizarro para alguém que é Diretor de Comunicação e Marketing, com a premissa óbvia de ser um EMBAIXADOR do SPFC, e não alguém que se esconde nas sombras. Pessoalmente e na minha empresa temos por princípio procurar responder às pessoas em no máximo 24 horas, e eu sou muito mais ocupado que o Sr. Márcio Aith e o Sr. Leco juntos. Depois de muita insistência comentando da omissão e da falta de retorno com diversas pessoas que conheço no clube, recebi um whatsapp (que anexo a este e-mail) do Sr. Marcio Aith no dia 9 de Junho com a mensagem "amigo, estou em reunião. quando voltar ao estádio, te ligo". Nunca ligou! Nunca retornou, apesar de novamente eu tentar o contato e o diálogo insistentemente.

4) No dia 19 de Junho de 2017, face à completa indiferença e falta de qualquer retorno da Diretoria de Comunicação e Marketing, enviei um e-mail ao Presidente Leco ( aqui também anexo para sua apreciação ) aonde expus claramente o que estava acontecendo (como nos itens acima) e me referi aos custos incorridos dizendo que, face à indiferença, a arrogância, a desconsideração e a omissão, eu pediria que ele pagasse à empresa por algo que estava sendo utilizado efetivamente e produzindo resultados para o São Paulo. Usei até como referência o valor promocional que tenho para o BRADESCO, um dos maiores clientes Orbium, há 15 anos. O valor do SPFC é muito inferior ao que seria cobrado do São Paulo se fosse um cliente normal pela diferença de volume de licenças de sotware utilizadas. Na verdade a ORBIUM estaria cobrando somente o ressarcimento dos custos que ela está incorrendo para manter a operação do São Paulo, enquanto o clube prestigia um Diretor regiamente remunerado, que aparentemente não dá expediente no Clube, não dá retorno às pessoas e/ou possui exclusivamente uma agenda pessoal de preferências. O recebimento do email foi confirmado pela secretária do Presidente Leco, para que não se alegasse que "não houve tempo para leitura de e-mails". Como se pode ver no e-mail, não tenho pessoalmente nada contra o Presidente Leco ou mesmo contra o Sr. Márcio Aith, apesar de já naquele momento fazer um questionamento DURO e merecido da má-performance desse Diretor.

5) No dia 25 de Julho de 2017, recebi uma comunicação padrão do Relacionamento Sócio Torcedor, afirmando que "devido a um imprevisto sinalizado pelo banco, não foi possível realizar o débito do cartão de crédito". Imagino que esse email tenha sido enviado para TODOS OS SÓCIOS TORCEDORES. Ou seja, a Diretoria de Marketing e Comunicação do SPFC perdeu os dados do cartão de crédito dos STs??? Isso, além de colocar em dúvida a segurança financeira dos STs que depositam no São Paulo a informação CONFIDENCIAL dos seus cartões de crédito, obviamente sinaliza que o SPFC deve ter sofrido um ABISMO FINANCEIRO na receita do Sócio Torcedor, uma vez que esse pagamento é como aquele dízimo de igreja ou mensalidade de clube ou assinatura de jornal ou contribuição para uma casa de caridade, que pagamos mensalmente sem revisar ou questionar. Muito provavelmente mais da metade dos Sócios Torcedores NÃO COLOCARAM novamente seus cartões de crédito, e a INCOMPETÊNCIA desse Diretor provocou um prejuízo absurdo ao clube (vide anexo o e-mail padrão enviado pelo SPFC).

6) Finalmente em 02 de Agosto de 2017, envio um email ao Presidente Leco, que igualmente ao seu subordinado, não me deu qualquer retorno ou promoveu que alguém resolvesse a situação. Ou seja, um Presidente fica sentado por quase 50 dias em cima de um problema simples de resolver e em cima de uma evidência de um Diretor inadequado e incompetente, e NÃO FAZ ABSOLUTAMENTE NADA!!! Anexo o e-mail para que você tenha total transparência da situação e compartilhe da minha indignação, o que certamente acontecerá com qualquer pessoa de bem. Para provocar, emiti uma nota com os custos dos últimos 3 meses somente. Mesmo assim nenhum movimento.

É impossível separar esse tipo de comportamento do que está acontecendo com o time dentro de campo. É evidente que gestores remunerados que procedem dessa forma no Marketing, não deixarão de permear seu mau exemplo, sua covardia e sua falta de liderança para dentro do time de futebol, e o resultado é esse que estamos vendo. O grande São Paulo eliminado precocemente de todas as competições e na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, com um time que, no papel, é superior a times que estão na ponta da tabela. Isso motivou minha carta ao Conselho que você publicou.

Mas veja que até nesse episódio se reforçam os mesmos erros. Ao invés de responder os questionamentos ( qto é o salário dos Diretores, as metas, a performance, os valores de empresários, o nepotismo, etc etc ), a movimentação do Sr. Marcio Aith, dentro do melhor estilo "assessor de imprensa político" que é sua formação, e utilizando-se de terceiros, foi de tentar desqualificar a situação jogando uma MENTIRA, de que eu tivesse uma motivação financeira nos meus questionamentos. O histórico acima e os documentos anexos falam por si próprios.

(…)

As pessoas são o que sempre foram. O SPFC tem hoje na Presidência um advogado mediano e na Diretoria de Comunicação e Marketing um assessor de imprensa político. O que a Nação Tricolor não pode tolerar é que eles continuem sendo o que sempre foram enquanto deixam o São Paulo Futebol Clube ser o que NUNCA FOI, … um time humilhado, acovardado e perdedor, que obviamente tem as mais profundas raízes no tipo de comportamento e exemplo descritos acima factualmente e sem entrar em suspeitas e/ou especulações políticas. Esses senhores são RESPONSÁVEIS pelo meu filho chorar depois de cada derrota. São responsáveis por eu ir dormir de cabeça quente como 20 milhões de SãoPaulinos para os quais eles devem MUITAS SATISFAÇÕES … e NÃO DÃO NENHUMA!

AGORA, A RESPOSTA DE MARCIO AITH

Caro Menon,

Respondo aos questionamentos enviados pelo Blog em nome da verdade e, também, em respeito ao estilo sério, responsável e isento que sempre caracterizou o seu trabalho. Mas não deixo de registrar que uma pesquisa básica na internet, ou mesmo a mera missão de ouvir o "Outro Lado", teria lhe indicado que o Sr. Luís Roberto Demarco não é um simples torcedor do SPFC, tampouco um empresário livre de conflitos societários que, independentemente de seus méritos, exigiriam mais cuidado e menos ligeireza na divulgação de suas acusações – você divulgou, sem me ouvir, no dia 08/08/2017, um texto com sérias acusações a mim. Meu caro Menon, sou um profissional de mercado mais atento a fatos do que a ruídos. Mas tenha certeza de que farei tudo para proteger a imagem e o patrimônio deste amado clube. Luís Roberto Demarco pretende, em essência, cobrar do SPFC mais de R$ 300 mil por um produto que o próprio franqueou gratuitamente ao clube –fato que está documentado – e, saliente-se, não é mais utilizado pelo programa Sócio Torcedor. 

Ao longo deste meu trabalho no SPFC conheci verdadeiros abnegados e amantes fervorosos das nossas três cores. Pessoas que se dedicaram muito ao clube, realmente de forma altruísta, oferecendo recursos próprios, muitas vezes em detrimento da respectiva família. Também ao longo desse tempo, conheci alguns são-paulinos não tão abnegados, ou que vez ou outra condicionaram ou precificaram seu suposto "amor" pelo SPFC. Afastei, quando necessário, pessoas que tentaram lesar o clube. aliás, e, curiosamente, o primeiro ataque tresloucado do sr. Demarco foi divulgado por você, Menon, no mesmo dia em que desbaratamos um esquema que prejudicaria o SPFC em milhões. Amor se dá e se recebe, Menon. Simples assim. Quem dá, dá na medida em que está disposto a dar. Quem recebe, deve recebê-lo de bom grado, sem maiores exigências.
É importante que você saiba que o departamento de Marketing do SPFC recebe há tempos cartas excêntricas do Sr. Demarco, mesmo antes de minha posse, cheias de ilações, ironias, conjecturas e juízos de valor. Em 20/07/2016, por exemplo, o Sr, Demarco condicionou a gratuidade do uso de seu produto a uma condição peculiar: "O São Paulo pode usar o software gratuitamente por tempo indeterminado desde que o Vinícius, que é o diretor da minha confiança no São Paulo e responsável pelo sucesso do Plano do ST do SPFC, esteja na Diretoria." Em outro email, enviado à Diretoria do SPFC em 19/06/2017, e ignorando a ótima e harmônica relação entre mim, Vinícius e demais diretores clube, ele fantasia: "A tragédia futebolística que o São Paulo vem apresentando a algum tempo, deve ter sua principal origem em atitudes como desse seu Diretor de Comunicação e Marketing e outros comportamentos similares que permeiam o nosso Tricolor há muito tempo, e que dificilmente conseguirão ser revertidos pela determinação e competência dos excelentes Vinicius Pinotti e Rogério Ceni."

Qual é o intuito do Sr Demarco? Jogar um diretor do SPFC contra outro? Romper a harmonia que impera entre nós? Saiba que todos nós diretores estamos juntos pelo único propósito de unir o SPFC.
Menon, quanto à insinuação de que também trabalho para o governo, segue cópia de minha exoneração, a meu pedido, feita há mais de um ano, para que eu pudesse fazer uma pós-graduação em demografia na King's College, em Londres. Tenho trabalhado no SPFC por mais de 12 horas por dia – principalmente nestas últimas e delicadas semanas. Como secretário de Estado, gerenciei um orçamento publicitário de mais de R$ 300 milhões de reais, administrei mais de 20 agências de publicidade contratadas, fiz briefings e autorizei campanhas. Não vou tolerar que minha história de vida seja distorcida e meu nome difamado.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Menon