Blog do Menon

Vexames do dia. Marco Polo del Nero na cabeça

Menon

A partir de hoje, vou listar os vexames do dia no glorioso futebol brasileiro.

O Grêmio, descontente com a primeira arbitragem e receoso com a segunda, pede ajuda política contra o que considera uma possível ajuda da Conmebol para o Lanús na disputa do título da Libertadores. E não terá ajuda de Marco Polo del Nero, o presidente da CBF. Ele não pode sair do Brasil por ter problemas com a justiça dos EUA.

Poderia receber o apelido de ''pato manco'', gíria dedicada, nos EUA, a políticos em fim de mandato e que perderam o poder. No Brasil, dizemos que, nessas ocasiões, até o cafezinho é gelado. Mas ele não é ''pato manco'' coisa alguma. Manda e manda muito. Com aval do Grêmio e de muitos outros grandes do Brasil. Todos. Aceitam tudo o que se decide. Aprovam tudo. E votam em Marco Polo.

Se o Grêmio for roubado no segundo jogo, se o título for perdido por erro de arbitragem, o Grêmio vai reclamar e…vai continuar votando em Marco Polo del Nero.

O segundo vexame foi de Chapecó, dirigente do São Paulo, que processou o clube porque, no campeonato interno, sentiu seu time, o PSV, prejudicado. Sim, é verdade. O São Paulo Futebol Clube é acionado por um dirigente que se acha jogador e que se sentiu prejudicado. A ação foi negada pela justiça.

Bruno Vicintin, ex-vice de futebol do Cruzeiro, fez Boletim de Ocorrência porque se sentiu ameaçado por Itair Machado, atual homem forte do futebol no clube.

A Justiça decidiu que a urna 7 do Vasco, totalmente euriquiana, volta a valer. Eurico é o novo velho presidente. Até quando?

Amanhã tem mais, com certeza. Nossos cartolas nunca decepcionam quem aposta na mediocridade.