Blog do Menon

Corram garotos, o Nenê vem aí…

Menon

É muito difícil um jogador da base ser lançado em um time que está jogando bem, que está entrosado. Ora, se está tudo bem, por que mudar? Nesse caso,  é preciso sobrar nos treinamentos e mostrar que o time pode ser ainda melhor, com a presença dele. E não há tanta pressa para mostrar.

Na maior parte das vezes, o garoto entra mesmo é em momentos ruins. Na podre. O time está mal, os reforços não deram certo, coloca o garoto aí para ver o que dá. Enquanto isso, o clube vai contando moedas para buscar reforços.

O tempo é curto.

E os jovens do São Paulo estão perdendo tempo. E é bom correr, porque o Nenê vem aí.

É o caso do Shaylon, por exemplo. Quem o vê jogar, sabe que é bom. Que tem um futuro enorme por aí. Mas já são quatro jogos seguidos e ele mostrou lampejos, lances isolados, tudo o que já se sabia. Precisa ser mais constante. Precisa definir com precisão, como fazia na base. Antes do perdão a Cueva e da estreia de Nenê, ele terá poucas chances. Tem de aproveitar.

Brenner está aproveitando. Fez gol contra o Corinthians e contra o Madureira, mas…e se tivesse feito outros dois que perdeu, também contra Corinthians e Madureira. Talvez houvesse empate no clássico (não esqueçamos que o Corinthians é melhor) e com certeza haveria goleada contra o frágil Madureira. Goleada que se concretizaria também se Bissoli tivesse feito aquele gol, que bateu na trave. Foi uma linda definição, mas o azar…

Paulinho Boia entrou nos dois últimos jogos, com a missão específica de criar jogadas a partir do drible. Resolver o mano a mano, ganhando espaço e servindo os companheiros. Não conseguiu. Marquinhos Cipriano teve poucas chances. Caíque foi bem contra Novorizontino e Mirassol, mas apagou-se contra o Corinthians. Pedro Augusto e Paulo Henrique são jogadores que, pelo menos para mim, não mostram possibilidade de futuro. Podem ser coadjuvantes em bons times, no máximo.

É necessário que os garotos tenham novas chances. Mas é fundamental que comecem a dar respostas rapidamente. Dorival está com eles, mas não vai morrer amarrado com ninguém. Talvez com o Nenê.



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.