Blog do Menon

Punição a Guerrero é medieval

Menon

Um jogador de futebol tem uma carreira profissional de 14 anos. Não é um exagero dizer isso, embora muitos, como Ricardo Oliveira e Leonardo Silva estejam perto de 20 anos na estrada.

Pois bem. Paolo Guerrero foi punido com 14 meses de suspensão. Aos 35 anos, o que significa uma possível interrupção definitiva.

O que fez Guerrero? A hipótese mais grave, refutada pela defesa, é que cheirou cocaína. Também é possível que tenha sido alguma substância presente no chá de coca, presente nas tradições culinárias da América do Sul.

Pensemos no caso mais grave, não confirmado. Qual a influência da cocaína no rendimento esportivo de Guerrero? Nenhum.

A punição tem mais a ver com a tese de que um esportista é uma figura pública e que deve dar exemplo. Muito interessante a FIFA defender a tese de exemplo. De qualquer coisa.

Guerrero deve ser inocentado? Sim, caso não se confirme o ganho esportivo.

Mas, não se trata de inocência. Guerrero já está há seis meses sem jogar. Cumpriu pena e voltou há poucos jogos. Estaria muito bom.

Mas, o punitivismo impera. Que termine a carreira! Que fique fora da Copa!! Que se puna o Peru, que volta ao Mundial após 36 anos!!! Que a Copa perca uma de suas atrações!!!! Prende, arrebenta, mata, esfola!!!!

Em 1993, a tese do chá de coca foi aceita e livrou o brasileiro Zetti e o boliviano Rimba de uma suspensão.

Em 2012, às vésperas da Olimpíada, César Cielo foi liberado pela mesma corte que puniu Guerrero.

Certo? Errado? Os casos são semelhantes e o punitivismo só foi a tônica agora,contra o Guerrero inca.