Topo
Blog do Menon

Blog do Menon

Categorias

Histórico

Vitória é só um detalhe

Menon

2013-05-20T19:14:15

13/05/2019 14h15

Querida

Diga, amor

O menino está fascinado pelo Guardiola. Não sai da frente da televisão. Vou aproveitar que acabou o campeonato inglês e levar o garoto pra ver nosso time no estádio.

Ótima ideia. Quem sabe, ele pega gosto.

Filho, vamos ver o jogo domingo?

Vamos. Quem joga?

Nosso time, claro.

Está bom este ano?

Sim, muita coisa boa. Começa com nosso treinador.

É mesmo? O cara é bom?

Bom? É ótimo. Parece o Guardiola.

Opa, que bom, pai. Como assim, o Guardiola?

As ideias são parecidas. Nosso goleiro sabe jogar com os pés, começa às jogadas ofensivas.

Maravilha.

Tem mais. O time sai jogando em x, com volante recuado, laterais pelo meio e os atacantes de lado com o corredor todo.

Caramba..

E os volantes? Vou te falar. Trocam passes até a área do time.

Muitos passes?

Muitos. Ninguém troca mais que nós. E isso significa o quê, garoto?

Ah, pai… Não me ilude. É o que eu estou pensando? É?

É sim…POSSE DE BOLA. A maior do Brasil. POS SE DE BO LA

Por que não me falou antes, pai? Estou perdendo isso? Posse de bola e vitórias, pai? Igual o Guardiola?

Bem, filho…

O que, pai?

A vida não é bem assim…

Como?

Nem tudo é perfeito. Lembra daquele professor que disse que o gol é apenas um detalhe?

Lembro. Mas o que significa?

Então, se o gol é só um detalhe, a vitória também é uma soma de detalhes.

A gente não ganha?

De vez em quando. Mas quem liga, o bom mesmo é ver aquele balé em campo

Tá bom, pai. Que dia é o jogo?

Domingo, filhão. POSSE DE BOLA, não esqueça.

Pai, domingo eu não posso.

Por quê?

Tenho judô.

É no sábado.

Ah, é. Tenho catecismo.

Vocé já terminou.

Tenho que tomar vacina contra febre amarela.

Deixa disso.

Tenho dever de casa.

Ah, tá bom, filho. Fica aí, depois não reclama…

Desculpa, pai…

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Mais Blog do Menon