Topo

Histórico

Categorias

Pato será muito útil ao São Paulo

Menon

23/07/2019 11h14

Pato não é e nunca será o que se esperava que fosse. Flopou. Talvez pelas contusões, talvez por uma falta de amadurecimento ou talvez por erro de avaliação de quem, a partir de um jogo contra o Palmeiras, o tratou como a nova grande estrela brasileira.

Ao não ser o que se esperava – por motivos diferentes – Pato e Adriano criaram um problema para a seleção. Eles seriam os substitutos de Ronaldão e Ronaldinho, mas a missão caiu nas mãos e pés de Luis Fabiano, que fez um trabalho digno.

Bem, que tal então analisar Pato pelo que é e não por aquilo que disseram que seria? Por aquilo que não concretizou?

Pato é um jogador de boa técnica e com boa finalização. Deve jogar pelo meio, atrás de um atacante mais, digamos, raiz. Pode dar o último passe para o parceiro. Ou para quem está no lado. Como fez com Antony contra a Chape. E pode – sabe muito bem – entrar na área para chutar ou cabecear.

Faz tudo isso bem. É pouco? É muito. Estamos falando do futebol brasileiro atual e de um time – mais uma vez – em construção.

Dizer que a saída de Pato foi fundamental para a vitória contra a Chape é equívoco. O time melhorou porque Luan saiu. Não tinha função e deu lugar a um novo atacante.

Se Pato tivesse continuado em lugar de Hernanes ou Tchê Tchê poderia se aproveitar, por exemplo, dos cruzamentos de Éverton.

E, amigos, se não se pode analisar Pato pelo que nunca será, muito menos pelo que nunca foi: ponta-esquerda que volta para ajudar o lateral

Pato é muito importante. Quem o crítica averbamento deve se lembrar que Toró e Éverton, que viraram o jogo, vinham de partidas ruins. Não são uma certeza.

 

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Blog do Menon