Topo
Blog do Menon

Blog do Menon

Categorias

Histórico

Marta é maior que Pelé. Fernando Pessoa diz que sim

Menon

13/09/2019 15h56

Em 1970, Alagoas abraçou o mundo. Batizou seu estádio com o nome de Pelé, o Rei Pelé, maior atleta de todos os tempos. Um ato de amor ao futebol. Nada de homenagem a cartolas que nunca chutaram uma bola na vida.

Em 2019, Alagoas abraça Alagoas. Deixa o cosmopolitismo de lado e troca o nome de Rei Pelé para Rainha Marta. Deixa de homenagear um ícone mundial para afagar o maior atleta (de todos os gêneros, incluindo Zagallo, por exemplo), de Alagoas.

É lógico que Marta transcende Alagoas, transcende o Brasil, mas também é evidente que a troca é muito mais sentimental que esportiva.

Que bom! Que justo!

O Mundo ou a Aldeia?

Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa escreveu sobre o assunto. O tema é o rio Tejo.

Leiam

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda,
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,
A memória das naus.

O Tejo desce de Espanha
E o Tejo entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
E por isso, porque pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

Pelo Tejo vai-se para o mundo.
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram.
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

O triste da maravilhosa opção alagoana é que Pelé fica sem uma homenagem. Apenas os alagoanos haviam se lembrado dele.

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Mais Blog do Menon