PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Censura sobre Jesus é vingança dos árbitros

Menon

19/10/2019 11h27

A constituição cidadã, cunhada sob o comando do imortal Dr Ulysses Guimarães, foi um avanço democrático e civilizatório para o Brasil. "Temos ódio e nojo à Ditadura", dr Ulysses disse, quando de sua promulgação.

Para muitas mentes afeitas à truculência, faltou um artigo. "É proibido criticar árbitro de futebol. Quem o fizer, estará sujeito a 30 chibatadas em praça pública. Em caso de reincidência, será obrigado a ouvir uma palestra de Tite por 20 minutos seguidos".

Como não podem mexer na Constituição, apelam para o STJD. Jorge Jesus, treinador do Flamengo, pode pegar 12 jogos de suspensão por dizer que os árbitros de VAR no jogo Furacão x Flamengo, prejudicaram seu time e os árbitros de campo. Como punição pela incompetência, deveriam ser afastados.

E aí?

Qual o problema?

Juiz de futebol ganha muito dinheiro. Em torno de 5 mil por jogo. Os do VAR também. E apresentam péssimo trabalho. É só comparar com o VAR dos outros países. Uma desmoralização total.

E não podem ser criticados.

Ora, vão catar coquinho.

É preciso ter nojo e ódio à Ditadura dos árbitros.

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Menon