Topo

Histórico

Categorias

Tite precisa melhorar, e não proteger, a ovelhinha Gabriel Jesus

Menon

16/11/2019 12h47

Em 2003, Tite foi demitido do Grêmio sob acusação de proteger três jogadores: Rodrigo Fabri, Anderson Lima e Luis Mario. As "ovelhinhas de Tite", como disse um diretor do Grêmio, na época.

Foi sempre uma dificuldade de Tite, desapegar de quem já não rende como antes. Sheik e Romarinho são exemplos.

Agora, Gabriel Jesus. Ele perdeu três dos quatro últimos pênaltis que bateu, pela seleção.

Vai continuar batendo?

O que é mais importante: Gabriel voltar a ser um bom cobrador ou o Brasil voltar a converter seus pênaltis?

Insistir com o atacante, para que recobre confiança, ou aproveitar as cobranças.

A resposta é clara, não? Se o Brasil tivesse aproveitado o seu pênalti, dificilmente perderia o jogo contra a Argentina.

Mas, Tite é muito metódico. Protege suas ovelhinhas. Foi demitido do Corinthians do mesmo jeito. Pênalti contra o São Paulo e ele mandou Coelho bater em vez de Tevez.

Tite precisa fazer Gabriel Jesus melhorar. Sua participação na Copa foi ridícula. Foi bem na Copa América, mas não está sendo, como Firmino, um atacante confiável.

O que ele melhorou sob o comando de Tite?

Nada.

Desaprendeu a cobrar pênaltis.

Assim como Neymar, Gabriel estagnou com Tite. Para melhorar, não adianta protecionismo e insistência em colocá-lo como cobrador de pênaltis.

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Blog do Menon