PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Minha seleção entra em campo

Menon

09/12/2019 14h00

Minha seleção do Brasileirão.

Weverton – Foi muito constante, praticamente não falhou e superou Cássio como terceiro da seleção. Volpi foi o menos vazado, mas aquele franguinho contra o Furacão….

Rafinha – Velocidade total, ótimos cruzamentos e dureza excessiva na defesa.

Rodrigo Caio – Deixou de ser o quase que era no São Paulo para ser o patrão da zaga do Flamengo.

Bruno Alves – Discreto e muito eficiente. Rápido e rebatedor.

Filipe Luis – O contraponto de Rafinha. Um lateral de passes precisos e que constrói o jogo desde a defesa.

Gerson – Protótipo do jogador moderno. Meiocampista que é todocampista. Desarma, passa, lança e chuta.

Carlos Sanchez – Não consigo entender como Sampaoli chegou a deixá-lo fora de alguns jogos. Bons lançamentos, ótima bola parada e finalização eficiente.

Gabigol – O melhor finalizador brasileiro, seja aqui ou na Premiere League, onde estão Jesus e Firmino.

Bruno Henrique – Velocidade carregando a bola, assistências e muitos gols. O melhor do campeonato.

E AGORA, DÚVIDA CRUEL?

Arrascaeta, Dudu ou Everton Ribeiro? Quem fica de fora?

Optei por Arrascaeta, o uruguaio de passes perfeitos e Dudu, o cara que carregou o Palmeiras.

Revelação – Michael, do Goiás. um ponta antigo.

Técnico – Jorge Jesus.

Também gostei muito de Caio Henrique, Cebolinha, Gustavo Henrique Soteldo, , Mateus Henrique, Pedrinho, Arão e as revelações Heitor, Antony, Reinier, João Pedro, Tales Magno, Pepê, Janderson, Igor Gomes e Taílson. Que todos vinguem.

E então? Qual é a Seleção de vocês?

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Menon