Blog do Menon

Arquivo : bruno alves

São Paulo tem segundo turno horrível
Comentários Comente

Menon

O São Paulo está em um beco sem saída. Faz um segundo turno abaixo da crítica – duas vitórias, cinco empates e duas derrotas – e não tem como reagir.

Continua, por enquanto, a ser um time difícil de ser batido, mas é insuficiente. A queda parece difícil de ser estancada.

Os problemas afloraram justamente no período de ascensão do Palmeiras, que é mais forte. Difícil segurar.

O que fazer para Nenê reagir?

Um jogo de folga, como forma de descanso? Um novo posicionamento, mais parado?

O mais complicado é que não há reserva. Shaylon faz boas jogadas, arrisca um chute ou outro, mas é muito tímido em campo. Não tem alma de protagonista.

Liziero, embora não seja da posição, pode ser a melhor opção. Mas não é uma solução.

E a ausência de Everton?

Ele está de volta, mas sua ausência foi terrível. Novamente, não havia reservas. Lucas Fernandes, uma decepção, já havia ido para um timinho de Portugal. Reinaldo é uma improvisação. Régis deixou o clube. Brenner e Caíque não entram. E quando entram, principalmente Brenner, não agradam.

E o ataque?

Rojas não tem reserva.

Diego Souza?

Vem fazendo um campeonato digno. Mas é veterano e pouco participativo. Pensem em Calleri. Ou Kardec.

E os reservas? Trellez teve bons momentos, apesar de tratar a bola como Vossa Alteza Imperial, mas não é certeza.

Gonzalo Carneiro me parece um engano terrível. Um grande erro de avaliação.

Com tantos problemas, como melhorar? Não vejo como, principalmente porque o time tem mostrado desconcentração em muitos momentos. Basta lembrar o jogo contra o América. E time aguerrido não pode perder foco.

A luta é por uma vaga na Libertadores. Me parece bem acessível. Mesmo que Aguirre não consiga melhorar o repertório do time, dá para ficar entre os seis, graças ao primeiro turno.

E eu, o que faria?

Não tem a mínima importância, não sou treinador, mas, vá lá… Fixaria a dupla Arboleda e Bruno Alves. E, quando Rojas e Everton estivessem fora, daria chance a Helinho e Brenner.

É o que tem para hoje.

 


Dario Pereyra pede zaga fixa e muito apoio a Rodrigo Caio
Comentários Comente

Menon

Quando se pergunta a um são-paulino sobre o maior zagueiro da história do clube, Alfonso Dario Pereyra Bueno é sempre lembrado, com suas 453 partidas e 38 gols anotados. E, quase invariavelmente, seu nome é citado junto ao de Oscar. Oscar e Dario, uma dupla inesquecível. Ele continua apostando na fórmula que deu certo. Gosta sempre em uma dupla fixa, como forma de aperfeiçoamento. Foi o que ele defendeu em entrevista ao blog.

Dario Pereyra, como você analisa os quatro zagueiros do São Paulo?

Os quatro são bons, cada um com sua característica. É material humano para se formar uma boa dupla, que jogue sempre ou 90% das partidas. Um zagueiro deve combinar com o outro, se um é bom de cabeça, o outro é bom por baixo, se um tem mais força, o outro tem mais técnica, para sair jogando. Por isso, é bom ter uma dupla que se conheça cada vez mais.

Mas por que é tão importante ter uma dupla fixa?

Porque o entrosamento melhora e o rendimento também. O zagueiro é o comandante do sistema defensivo. Ele é que orienta o lateral para sair ou para ficar, ele é que grita com os volantes, ele que orienta a cobertura. É o sistema defensivo todo que precisa estar ajeitado.

Você não está defendendo os zagueiros porque essa foi sua posição?

Não, de jeito nenhum (dá risada). Se um time não leva gol, ou se leva o mínimo de gols possível, fica muito mais fácil vencer. O time passa a ter tranquilidade para atacar e fazer um gol, mesmo nos últimos minutos. Assim, ganha três pontos. Contra o América, estava indo tudo bem, até sofrer o empate no final do jogo. Fica sem tempo para reagir.

Voltando à zaga do São Paulo, quem é o melhor?

O que eu mais gosto é o Anderson Martins. Ele é forte, seguro, está jogando muito bem. A zaga do São Paulo está muito boa, teve um probleminha ou outro, como aquele gol contra do Anderson, mas, no geral é boa zaga.

Qual a dupla que você escolheria?

Ah, não. Isso eu não respondo, não. O Diego Aguirre é muito competente e vai formar uma boa dupla, se achar necessário.

Rodrigo Caio voltou ao time e já está sendo criticado?

Sério? Mas se ele jogou na lateral direita para ajudar o time. Foi dar sua contribuição e não fez nada de errado, não falhou. Um erro muito grande ele ser criticado. A torcida devia entender que ele é um patrimônio do clube, foi formado pela base e já deu mostras de ser muito bom.

Como você define o Rodrigo Caio?

Um zagueiro muito técnico, começou como volante. Ele tem bom passe e ótima impulsão. Foi campeão olímpico, isso é importante. Talvez ele seja criticado porque quando estava bem, o time não estava bem, rendia menos que agora. Agora, se recuperou e vai ajudar o São Paulo. Mas, vai esperar um pouco porque os outros três estão dando conta do recado, estão jogando muito bem. Confio nele, sim.


Rodrigo Caio é o melhor reforço
Comentários Comente

Menon

Rodrigo Caio voltou aos treinos e poderá jogar novamente dentro de duas semanas. Também pode ser vendido. Em ambos os casos, será um grande reforço: para as contas do clube ou para o elenco do time que luta pelo título.

O São Paulo disputa dois campeonatos difíceis. E tem apenas três zagueiros.  Tinha ainda o Militão, que poderia jogar na zaga, mas que foi para Portugal.

Os três zagueiros são bons. Anderson Martins é o melhor. Mas Bruno Alves e Arboleda são garantia de um rodízio de qualidade. Não há, porém, rodízio que resista a cartões e contusões.

Rodrigo Caio joga no mesmo nível dos três. Com ele, Aguirre pode intensificar o rodízio e ter sempre dois bons zagueiros em campo e outro no banco.

É assim com os volantes, a partir da incorporação de Luan. Com ele, Liziero, Hudson e Jucilei, Aguirre fica tranquilo.

A diretoria tenta ainda contratar Everton Felipe, opção a mais para o ataque. O jogador do um contra um  que o clube busca. Alguém capaz de fazer contra os rivais o que Everton Cebolinha fez contra Éder Militão, o Breve.

 

 

 

 

 

 


São Paulo, mortal, sai fortalecido do Inferno
Comentários Comente

Menon

O São Paulo fez sua melhor partida no Brasileiro. Venceu o Cruzeiro,fora de casa, e se manteve no segundo lugar, a dois pontos do líder Flamengo.

Foi a terceira vitória em quatro jogos pós Copa. 75% de aproveitamento em uma sequência infernal, que tinha o líder Flamengo, Grêmio e Cruzeiro, todos fora, e o Corinthians, campeão brasileiro, em casa.

Com os nove pontos, o time se fortalece para uma sequência bem mais acessível, com Vasco (c), Sport (f), Chape (c), Paraná (f), Ceará (c) e Fluminense (c).

A vitória contra a Raposa veio em dois contra-ataques mortais, ambos com participação de Rojas e Reinaldo. Gols de Everton e Diego Souza.

Everton foi uma contratação cirúrgica. Rojas caminha para isso. Reinaldo voltou muito bem e Diego Souza está bem.

Ao contrário do jogo contra o Grêmio, o São Paulo não foi massacrado. Recuou, sim, mas com a opção de saída. Mérito do time, mas também demérito do Cruzeiro.

Outros pontos positivos do time:

Luan foi muito bem em sua estreia real. Personalidade para reviver a dupla da base, com Liziero. Marcou bem e mostrou bom passe.

Bruno Alves mostrou, novamente, que é titular. Mesmo que esteja no banco. Por isso, Anderson Martins forçou o amarelo.

Araruna é ótimo coadjuvante. Bom reserva para três posições.

Por fim, Nenê. Estava bem, apesar de sofrer dois desarmes de Dedé. Reclamou muito ao sair. E vibrou muito com o segundo gol. Que a segunda atitude supere a primeira.


Anderson Martins é uma bela contratação
Comentários Comente

Menon

A chegada de Ânderson Martins deixa o São Paulo mais forte. Agora, com ele, Rodrigo Caio e Arboleda, o time passa a ter três zagueiros de bom nível

Ânderson é forte, bom mas divididas é com bom senso de cobertura. Com a sua chegada, o Vasco fechou a casinha, deu uma banana para o rebaixamento e levou o Vasco à Libertadores.

E Militão?

O garoto que resolveu o problema da lateral direita, corre riscos de perder espaço. O São Paulo busca um jogador da posição, o que faria Militão voltar ao início da carreira, quando jogava como zagueiro ou volante.

E terá a concorrência de Ânderson, Rodrigo Caio, Arboleda, Bruno Alves, Jucilei, Hudson e Petros. Se fosse ele, ficaria na direita.

São boas opções para Dorival Jr.  Tudo indica que terá um time pra chamar de seu, sem necessidade de reconstrução no meio da temporada.

 


Cueva, a base e Dorival foram fundamentais na vitória
Comentários Comente

Menon

O São Paulo conseguiu uma vitória importantíssima. Vitória que dá respiro e faz a vaca tirar a cabeça do brejo. Antes, como dizia meu irmão, o Passional, apenas os chifres estavam fora da lama.

Importante notar, como no ano passado, a força da base. Gol de Militão, que jogou muito bem, e tomou conta da lateral. E boa partida de Lucas Fernandes, que saiu por mostrar um certo cansaço.

Outro ponto foi a entrada de Cueva no segundo tempo. O peruano deu clarividência ao jogo e mostrou o bom futebol do início do ano. Ele, se jogar bem assim, é imprescindível ao time. Os dois gols saíram de jogadas dele. Ele, Hernanes e Lucas podem dialogar muito bem em campo. O São Paulo, na situação em que está, não pode se dar ao luxo de deixar bons jogadores no banco.

Dorival Jr. foi muito bem. Foi corajoso e mostrou-se à altura do clube que dirige. Em vez de jogar pelo empate, fez substituições corajosas, para vencer. No intervalo, colocou Cueva em lugar de Gómez e recuou um pouco Lucas Fernandes. O gol saiu logo aos sete minutos e Dorival poderia ter fechado o time, com um zagueiro a mais ou com mais um volante. Não; trocou Lucas Fernandes por Thomaz. Pode-se até discutir a qualidade de Thomaz, mas é um jogador ofensivo. A preocupação com a defesa foi apenas no final, com a entrada de Bruno Alves em lugar de Marcos Guilherme.

Ainda há um longo caminho a percorrer, mas o São Paulo deu um passo importante.


Dorival fez tudo certo. E pode dar tudo errado
Comentários Comente

Menon

Pode dar tudo errado, mas Dorival Jr aproveitou muito bem os 12 dias de treinamento que teve após a derrota para o Palmeiras e antes do jogo contra a Ponte. Fez tudo certo. E, se der errado, a contradição não é minha. É do futebol, que nos apaixona. E da Ponte Preta, que tem um bom time.

Um resumo:

Militão na lateral – Dorival fez o que já devia ter feito antes, mas melhor tarde do que nunca. Atacou o problema da lateral direita, sempre um sedutor caminho para os adversários, esteja guardada por Bruno ou Buffarini. A entidade Brunarini é assustadora. Sem opção, ele escalou Militão, que é um marcador de boa técnica, como mostrou na base e no time de cima, como volante ou zagueiro. Tem capacidade para fechar a porta que sempre esteve aberta. Lucca ou Sheik são bons jogadores, mas ele também é. E tem ainda de bons cruzamentos, quando avançar.

Mudança na zaga – Arboleda está fora e Dorival Jr. deu oportunidade a Lugano, Bruno Alves e Aderllan. Os três foram testados. E ele fez sua escolha. Possivelmente será Bruno Alves, pela mobilidade do ataque rival. Impressiona o fato de Aderllan não ser relacionado para o jogo. Está há um tempo no clube e não estreia nunca. Será um novo Douglas?

Jonathan Gómez – O argentino foi testado mais atrás, formando dupla com Petros. Pode ser uma nova opção, dando mais qualidade à saída de bola, para tornar o time mais ofensivo. Dorival não está gostando de Jucilei e chegou a experimentar Militão, que não foi bem e que agora está na lateral.

Lucas Fernandes – Treinou sempre entre os titulares e pode jogar em lugar de Cueva, cuja postura não tem agradado companheiros e treinador. Pode ficar também no banco, em caso de nova chance para Cueva, mas realmente ganhou novo status. Importante notar que Dorival fez muitos elogios ao peruano. Está certo. O time está muito mal e nada ganhará queimando um jogador.

Intensidade – Todos os jogadores passaram a repetir a palavra como um mantra. Como se fosse a salvação. Não é, evidentemente, mas não se pode jogar sem ela, hoje em dia. Pelo menos, fica a impressão que aprenderam o básico.

Dedicação – Também repetiram o clichê de que é necessário jogar a 110%. Não precisava nem falar, é o lógico. Mas, se assimilaram o básico agora, depois de dez rodadas sob o novo comando, que seja.

Sobrevivência – Houve até palestra com um sobrevivente da tragédia dos Andes. Pode ser bom para dar mais confiança a um grupo de jogadores que, bem ou mal, tem lutado muito.

Agora, é jogar. E ganhar. Porque, sim, pode dar tudo errado. Mas não pode dar errado. O clube que não tem lateral que dê confiança, que não tem reserva para os volantes e que tem muita gente pronta para a barca 2018, não pode errar.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>