Blog do Menon

Arquivo : daniel alves

Fagner e a força mental
Comentários Comente

Menon

A contusão de Danilo é a segunda da lateral-direita, se contarmos a de Daniel Alves, antes da Copa. As opções agora são Fagner e Marquinhos. Nada que assuste. Marquinhos já foi testado na posição. Marca bem, é alto e permite aquela mudança de jogo sem mudança de jogador. Basta deslocar-se alguns metros para a esquerda e…voilá…aqui está um 3-5-2.

Fagner é um jogador que eu admiro pela força mental. É alguém com autoconfiança a mil. Não tem medo de ninguém, não se apequena contra quem quer que seja. Hazard, Mbappe, Cavani, quem passar jogar pelo seu lado terá uma missão dura contra o lateral do Corinthians. Ele não se dá por vencido antes de a partida começar. Não tem complexo de inferioridade. Marca bem e duro.

No Brasil, marca duro demais, a meu ver. Tem licença para bater, como escrevi há algum tempo. Muitas vezes joga no limite da indecência e fica em campo por conta de uma certa boa-vontade em excesso dos árbitros. Na Copa, tem sido diferente. Os árbitros demoram ainda mais a dar o amarelo. O vermelho, apenas em última instância. E os jogadores têm feito menos faltas. Que Fagner s adapte e se consagre em três jogos.

Problema dele, a meu ver, é a pouca altura. Lembram do gol de Cavani contra Portugal? Subiu uma régua acima do lateral esquerdo Raphael Guerreiro, que tem a mesma altura de Fagner.

Mas, se a bola alta é um problemas, Fagner pode muito bem impedir cruzamentos. É o que faz muito bem.

Fagner merecia a vaga de titular, mesmo se Danilo se recuperasse. E agora, tenho confiança que fará um bom papel até o final da Copa.


Seleção detesta jornalismo
Comentários Comente

Menon

A seleção brasileira detesta jornalismo. Não é de hoje. De há muito, acreditam que tudo é igual, que todos, jornalistas e jogadores, precisam estar juntos, dar as mãos, caminhar na mesma direção. Prá frente, Brasil!!!

O novo exemplo vem de Daniel Alves. Ele criticou a cobertura da Globo, falando em pessimismo e pedindo energia positiva.

Ora, quer energia positiva, procure um guru indiano, alguém especializado em florais ou orações.

Para Daniel Alves, o pachequismo de Galvão é insuficiente. Ele é exigente. Só aceita de Leifert pra cima.

Antes, foi Paulinho, muito agressivo. E, antes ainda, foi Neymar acionando sua milícia virtual contra Galvão.

E Tite coloca na mesa uma lei criada por ele, definindo para quem as perguntas devem ser direcionadas…

Felipão, em 2014, reuniu alguns jornalistas, propondo uma espécie de pacto contra a FIFA e os jornalistas estrangeiros que estariam querendo derrotar o Brasil. Para ele, seria errado dizer que aquela ridícula queda de Fred não foi pênalti.

Eles não sabem que há duas opções para um jornalista: desconfiar de tudo ou ser assessor de imprensa.

Quem não é pago pela CBF e faz assessoria de imprensa é a turma seduzida pela leifertização do jornalismo.

 


Tite perde o lado direito
Comentários Comente

Menon

O Brasil teria um lado direito formado por Daniel Alves, Paulinho e Willian. Não tão forte como Marcelo, Coutinho e Neymar, mas com bom início de jogadas, boa saída de bola.

E tudo mudou.

Daniel se machucou e entrou Danilo. O time perdeu saída de jogo.

Danilo se machucou e entrou Fagner, que também privilegia a marcação.

Paulinho não está bem. Não constroi jogadas e também não consegue ser o homem surpresa na ãrea rival.

Poderia perder o posto para Fred, mas ele também está contundido.

Willian não foi bem nos dois primeiros jogos. Douglas Costa melhorou o time e…está fora, por contusão.

Então, o trio ideal Daniel/Paulinho/Willian, que poderia ser trocado por Daniel/Fred/Willian, não pode mais.

Quem pode entrar por ali?

Aparece outro trio: Fagner, Fernandinho e Taison.

É melhor torcer pela melhora técnica de Willian.

Foi muito azar tanta zica na direita. Se fosse em outubro, eu até comemoraria.


Daniel Alves fará muita falta na Copa
Comentários Comente

Menon

A contusão de Daniel Alves o tirou da Copa. É oficial. Acredito que a diferença técnica entre Daniel e os outros laterais é a segunda maior existente na seleção. Só perde para Neymar comparado com quem quer que seja. Com 35 anos, experiência de outros Mundiais, Daniel poderia ser o capitão do time. E também uma opção de troca de posicionamento. Pode  jogar mais adiantado, como volante, meia ou até ponta. Foi assim com Dunga.

O que não gosto de Daniel é sua tendência a ser babá de Neymar. Ou um paizão. Ele deixou de ir ao City para jogar com Neymar. Tirou a bola de Cavani para Neymar bater pênalti. Faz parte do séquito de Neymar, muito mais que uma panela. Não gosto quando a seleção tem donos, como foi com Ronaldo e Roberto Carlos (reis da noite) ou Kaká e Lúcio (reis da reza).

Sem Daniel Alves, a briga por duas posições fica entre Danilo, Rafinha e Fagner. Os dois primeiros tem mais experiência na Europa, mas Fagner é um jogador de muita personalidade e não teria problemas anímico para jogar.

Seja quem for, Daniel fará falta.


Jesus, que notícia boa!
Comentários Comente

Menon

Gabriel Jesus foi a melhor notícia da vitória do Brasil sobre a Alemanha. Muita mobilidade, deslocamento, abriu espaços para a chegada de Paulinho e fez um gol, com ajuda de Willian, grande cruzamento, e do goleiro Trapp.

Importante notar a diferença de Gabriel, parece totalmente refeito da contusão, e dos postes alemães. Mário Gomez e Sandro Wagner tratam a bola como Vossa Excelência Reverendíssima.

William José, que tem estilo parecido, mas mais qualidade, não entrou. Como não havia entrado contra a Rússia. Não foi testado. Difícil entender.

O número de trocas ajuda a explicar. A Alemanha, que entrou sem vários titulares, fez cinco trocas. O Brasil colocou apenas Douglas Costa, que aproveitou bem a chance.

Outras notas sobre o jogo:

Zaga do Brasil foi muito bem, principalmente na bola aérea. Thiago Silva vai ganhsnga o lugar

Daniel Alves começou mal e depois melhorou bastante.

No segundo tempo, pressionado, o Brasil mostrou enorme poder de contra-ataque.

Fernandinho não foi bem em nova função. Seu jogo área-área não apareceu.

 


Tite e os oito últimos passageiros rumo a Moscou
Comentários Comente

Menon

Em entrevista aos repórteres Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida, do UOL, Tite definiu 15 nomes para a Copa do Mundo. Faltam, então, oito nomes. E eu me lembro do colega Roberto Benevides, com quem cobri a seleção brasileira lá no início dos anos 90. Eu dizia “Parreira deve chamar fulano” e ele me explicava: “você está raciocinando com os seus conceitos. Precisa raciocinar como se você fosse o Parreira, com os conceitos dele. Assim, fica mais fácil”.

Vou tentar fazer isso. E vou, já que eu sou muito aparecido, dar meus palpites também.

O interessante – e muito bom – é que vejo muitas notícias sobre o fato de o tal “radar” de Tite estar muito aberto. A cada semana, fala-se de outros nomes. Tite está aberto a novas chamadas.

Os nomes definidos por Tite são:

Goleiros – Alisson

Laterais – Daniel Alves e Marcelo

Zagueiros – Miranda, Marquinhos e Thiago Silva

Volantes – Casemiro e Fernandinho

Meias – Renato Augusto, Paulinho, Coutinho, Neymar, Willian

Atacantes – Gabriel Jesus e Firmino.

Defini a lista baseando-me no esquema 4-1-4-1 e as especulações também serão feitas pensando assim.

O que falta então?

Goleiros

EDERSON – é uma certeza, acredito mesmo que Tite tenha tido um lapso de memória ao não dizer seu nome.

CASSIO – Teve uma chance contra o Japão e falhou, sofrendo um gol de cabeça, em que ficou estático no gol. Mesmo assim, tem muita confiança do treinador.

Os outros nomes perderam espaço. Wendell é terceiro goleiro do Palmeiras. E Tite deixou claro que Vanderlei não é uma opção concreta para ele. Talvez Diego Alves tenha uma oportunidade, mas o jogo parece definido.

Minha opinião – Também levaria Cássio e Ederson

Laterais

DANILO – Teve chance de jogar como titular contra o Japão e rendeu bem. Como Fagner está caindo muito, ficou bem perto da Copa. Edílson deve ter alguma chance, mas não creio que ameaçará.

ALEX SANDRO – Jogou bem contra o Japão e, como é mais talentoso, deve ganhar a vaga de Filipe Luiz. Arana pode ser uma surpresa.

Minha opinião – Levaria Danilo e Filipe Luiz. Sou retranqueiro.

Zagueiros

RODRIGO CAIO – Jémerson falhou feio contra o Japão. Foi superado na bola alta, o que é lamentável, quando falamos de atacantes japoneses. O zagueiro do São Paulo tem sido muito constante nas chances que teve na seleção (mais do que no clube) e tem a admiração de Tite pela conduta na seleção olímpica e por uma certa liderança.

Minha opinião – Eu levaria Geromel, sem dúvida. Tem jogado em alto nível há tempos. E, para esticar um pouco, não levaria Thiago Silva e teria muitas dúvidas em relação a Marquinhos. Mas, como eles estão definidos…

MEIAS E ATACANTES

Com Casemiro e Fernandinho definidos, não haveria mais vagas para um volante, para o homem mais atrasado do meio. Mas é importante notar que Tite tem dado chances a Fernandinho na linha de frente (como um dos 4 e não como o 1), o que abriria uma vaga mais atrás. Tite também busca um atacante mais incisivo pelos lados do campo. O tal radar estaria olhando para Richarlison, David Neres e Malcon. E um atacante de área, mais fixo também seria uma opção. Por isto, fala-se em Willian José, que se machucou. No meio, há Lucas Lima, Diego Souza e Talisca, que está sendo observado, além de Giuliano. Douglas Costa, Taison e Luan.

Acredito que os nomes de Tite serão:

ARTUR – Penso que as experiências com Fernandinho abrem uma fenda enorme para o garoto do Grêmio.

MALCON – Está jogando muito na França.

GIULIANO – Teve muitas chances com Tite, correspondeu e não vejo ninguém “atropelando” em sua posição.

Eu levaria Artur, Malcon e Jô. Para mim, é fundamental ter um atacante de área, com presença, bom de cabeça.

Assim, acredito que os oito passageiros de Tite serão: Ederson, Cássio, Danilo, Alex Sandro, Rodrigo Caio, Artur, Giuliano e Malcon.

Os meus seriam Ederson, Cássio, Danilo, Filipe Luiz, Geromel, Artur, Malcon e Jô.

E vocês?


Et nóis. O melhor ataque do mundo
Comentários Comente

Menon

A Europa está avisada, como disse o L’Equipe. O PSG, como Átila, o Rei dos Hunos, o Flagelo de Deus, que subjugá-la.

O torcedor do PSG tem todo o direito do mundo de achar que Neymar, Mbappé e Cavani formam o melhor ataque do Planeta Terra. Mesmo porque o MSN não existe mais. Messi e Suárez perderam Neymar e viram Dembelé, o substituto, se contundir.

E o BBC é muito eficiente, matador, pode até ser o melhor de todos, mas falta magia a Bale. BBC pode ser o melhor, afinal lá está Cristiano Ronaldo, mas qual seja a sopa de letrinhas do PSG (NMC, NCM, MNC, MCN, CNM ou CMN) representa um futebol mais leve, mais fluido, mais elegante e bonito.

As deslocações envolvem também Cavani. O uruguaio saía da área quando o dono dela era Ibra. Pode sair novamente, para a chegada de Neymar, Mbappé ou dos que vêm de trás, como Draxler ou Rabiot.

Os 6×2 contra o Bordeaux foram uma aula de passes rápidos, passes curtos, bolas enfiadas, passe de letra e cobrança de falta genial. Didi, nosso Folha Seca, faria melhor. Em quantidade, talvez. Mas aquela de Neymar na manhã de sábado, foi incomparável.

O PSG parece, pelo menos externamente, haver aparado as arestas entre os jogadores. Neymar cobrou a também a falta. Neymar cobrou o pênalti. Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Esperemos o próximo pênalti para ver se há um rodízio, ou se o dono do time também é o dono da bola parada.

A defesa do PSG não mostrou a mesma beleza de seu ataque. E nem a mesma eficiência. O pênalti em Cafu era desnecessário e Meunier mostrou ser o típico defensor que não perde a viagem. E o primeiro gol do Bordeaux foi uma linda linha de passes pelo meio da defesa do PSG. Logicamente, há a ressalva de que Daniel Alves e Thiago Silva não estavam em campo.

Podia ser vira cinco e acaba dez, mas o PSG tirou o pé e se contentou com “apenas” seis.


Neymar, Cavani, Dani, Mbappé…Paris é uma festa
Comentários Comente

Menon

O PSG está jogando um futebol de sonhos. Um futebol de festa. Em Paris. O tridente Neymar, Mbappé e Cavani, devidamente assessorado por Daniel Alves e Rabiot está escrevendo uma história inesquecível. É lógico que o investimento é sinônimo de exigência de título, mas, mesmo que não venha (coloquei no singular porque só a Liga dos Campeões é que vale), mas é muito bom desfrutar o que se está vendo a cada partida. Uma ode ao futebol que gostamos.

A mobilidade de Neymar e Mbappé é impressionante. O brasileiro na direita, na esquerda e no meio. O francês, pelos lados. E, se Neymar saiu do Barcelona para não ser sombra de Messi, é bom saber que terá, em pouco tempo, uma grande sombra. Mbappé será para Neymar o que Neymar foi para Messi.

E há Cavani, um matador implacável. É difícil entender como o Uruguai, com apenas três milhões de habitantes e com um futebol baseado muito na postura defensiva, pôde produzir, ao mesmo tempo, três artilheiros como Cavani, Suárez e Forlán.

Falta fraternidade no PSG. Os cumprimentos entre Cavani e Neymar ainda são protocolares. Mas a igualdade (entre oibes atacantes) e a liberdade para criar estão lá presentes.

Paris é uma festa. E um aviso para Barcelona, Madri e Londres.


Dani Alves é o guarda-costas do Reizinho Neymar
Comentários Comente

Menon

Neymar e Daniel Alves procuram Cavani para o cadafalso

O Gabriel Dudziak, comentarista da Rádio Globo, colocou um tema instigante no twitter. Repasso a vocês:

“Sobre o Neymar, ofereço um pensamento estratégico: vale mais pra ele um golzinho e uma falta ou um time unido que o permita chegar aos títulos?”

Pois é.

Neymar é extremamente individualista. Já no primeiro pênalti cobrado por Cavani, ficou a pergunta no ar: “até quando Neymar vai aguentar até começar a questionar o posto de Cavani como cobrador de pênaltis.

Era uma crise anunciada, se é realmente uma crise. Eu acho que é.

Tudo pode ser evitado com uma ordem direta do treinador. Fulano é o cobrador. Sicrano é o cobrador reserva.

Evidentemente, Cavani será o Sicrano.

Neymar é o reizinho de Paris. O dono do PSG e quem não o respeitar vai ao cadafalso.

Ou então terá que se ver com Daniel Alves, o protetor do Reizinho, o irmão mais velho do Reizinho, pronto a protegê-lo nas brigas no recreio da escola.

Que papel ridículo.

Foi para isso que ele rompeu seu compromisso com Guardiola e deixou o City na mão?

Para ser o camareiro de Neymar, para ser o segundão na panela brasileira em Paris?

Papelão.