Blog do Menon

Arquivo : inter

Inter fez bulling contra o Fluminense
Comentários Comente

Menon

Minha dúvida é se Inter 3 x 0 Flu parecia:

a) time da série A x time da série G

b) time profissional x dente de leite

O desnível técnico e, principalmente tático, era enorme. Um time bem montado, com linhas próximas, marcação firme e contra-ataque. O outro, esparramado em campo, sem compactação e aberto.

O desnível físico, maior ainda. Jogadores do Inter foram mais rápidos. Saíam depois e chegavam antes. Ganharam as divididas. Gilberto, Jadson e Digão pareciam meninos assustados diante de López, Iago e Alves.

Com 3 x 0, o Inter recuou. Osair Hellnan aproveitou-se do mal-estar de Nico López e colocou D’alessandro. O time ficou atrás, especulou contra-ataques e segurou a pressão do Fluminense.

O Inter, se dúvida havia, mostrou que é candidatíssimo ao título. O Fluminense precisa melhorar muito.

PS – Pedro foi bem.

PS 2- Rodrigo Dourado foi muito bem. Campeão olímpico, pode estar na lista de Tite.


Guerrero não merece uma loucura
Comentários Comente

Menon

O Inter está buscando um acordo com a DIS para ter Guerrero em seu elenco. O atacante, cujo vínculo com o Flamengo está terminando, receberia 5 milhões de luvas e salários de R$ 600 mil, o que lhe garantiria R$ 800 mil na conta todo mês. Por quatro anos. Até quando ele tiver 38 anos.

Em troca de quê? Vinte gols por ano? Aproximadamente 50 mil por gol?

Realmente, eu não consigo ver nenhuma lógica em uma negociação assim. Para o Inter, é claro. Para Guerrero, é um milagre. Dos 34 aos 38 anos, ele recebera uma megassena por ano.

A notícia é mais surpreendente ainda porque conta que uma ala do Flamengo não aceita a saída do jogador e quer negociar com o jogador. Quer fazer uma oferta. Nas últimas negociações com o Flamengo, Guerrero teria pedido um aumento e…inacreditável…gostaria de receber salários pelo tempo em que ficou parado por conta de uma suspensão por doping.

Pode ter sido injusta. Pode ter sido um absurdo. Pode ter sido perseguição. Mas Guerrero foi acusado por doping quando estava a serviço da seleção peruana e não do Flamengo. Então, imaginemos que ele tenha tomado chá de coca, ou tenha usado cocaína ou que alguém tenha colocado droga em seu ceviche… O que o Flamengo tem com isso? Nada. Nadica de nada.

É inacreditável que um bom jogador como Guerrero, nada mais que bom jogador, é inacreditável que um artilheiro com poucos gols como Flamengo possa ser alvo de uma loucura monetária como essa.

Não há ninguém na base? Na América do Sul? Na China?

Todo mundo já passou por algum imprevisto que atrapalhou o orçamento. Um filho que quebra a perna, um presente de casamento, um conserto no carro, uma viagem inesperada…Depende do nível de vida de cada um.

Será que o Inter está preparado para um imprevisto desse nível? Um gasto a mais de 800 mil por mês? Estava tudo planejado? E não adianta falar que tem um investidor amigo por trás?

Com certeza há outras opções para investir um dinheiro desse.


São Paulo pode soltar rojões
Comentários Comente

Menon

Ao final do campeonato, se o São Paulo precisar de dois pontos para alcançar alguma meta, ninguém poderá lamentar os dois que foram perdidos contra o Inter. Não foram. O Inter foi melhor e, na verdade, o São Paulo ganhou um ponto. Pode comemorar e pensar muito bem no que o time fez ou não fez durante o jogo.

A escalação inicial não tinha Jucilei e nem Nenê. E tinha Trellez. Ou seja, o time perdia força de marcação, perdia criação e perdia chance de levar perigo ao rival. Liziero e Petros não foram bem. Lucas Fernandes foi colaborativo e chutou algumas vezes de longe. Estava jogando bem.

E foi o escolhido para sair, juntamente com Trellez. Shaylon entrou em seu lugar e Araruna substituiu o colombiano. Ficou na direita, ajudando Militão. Não entendi. Lucas deveria ter continuado, por estar jogando bem e por Araruna não acrescentar nada. Nunca.

O Inter foi dominando o jogo desde o primeiro tempo. O São Paulo errava muito. Perdia divididas. Perdia rebotes. Aguirre mudou de novo. Tirou Liziero, mandou Araruna para o meio e colocou Paulinho Boia.

Nada deu certo. No final, o jogo ficou um pouco mais igual, com os dois times tentando atacar. O Inter era muito mais bem organizado, cada jogador em sua posição. O São Paulo, não. Muito complicado, muito improvisado.


Renato precisa aprender com Fortaleza, Avaí e Porto. Não é só futebol
Comentários Comente

Menon

No mesmo sábado em que Renato Gaúcho, irritado com um empate no Gre-Nal, resolveu humilhar o Inter, houve demonstrações de afeto e respeito em jogos do Fortaleza, Avaí e Porto. Voltando a Renato, ele disse que o Inter joga como time pequeno, como time de segunda divisão e que, por isso, apesar do massacre gremista, não houve gols. Ora, muito parecido com o Grêmio de Renato contra o Real Madrid de Cristiano Ronaldo, não é? Cada um joga de acordo com suas possibilidades e objetivos e, pensando assim, o Inter de Odair Hellmann foi mais efetivo que o Grêmio de Renato Gaúcho.

Mas, vamos falar de coisas boas. Emotivas.

O Fortaleza vencia o Goiás por 2 x 0. Dois gols de cabeça, mostrando a força da bola aérea do time dirigido por Ceni. Aos 29 minutos, Osvaldo 31 anos, foi substituído pelo estreante Marlon. Saiu muito aplaudido, sentou-se no banco de reservas e caiu no choro. Dez anos depois, ele se despedia novamente do time que o revelou. No final do ano, tinha acertado um pré-contrato com um time da Tailândia. Antes disso, fez 12 jogos e dois gols pelo Fortaleza. E, ao ser aplaudido por 32 mil pessoas, desabou emocionalmente. Com certeza, quer ficar, mas o Fortaleza não tem como pagar 1 milhão de dólares pela multa.

Final de jogo, vitória por 3 x 0, Osvaldo voltou a campo. Foi jogado ao ar pelos companheiros e, de “cavalinho” e Gustavo, o Gustagol, deu uma meia volta olímpica, aplaudindo a torcida e sendo aplaudido por ela. Depois, mais choro. Em um futebol cada vez mais frio e profissional, é bonito ver a emoção em uma despedida simples e espontânea.

Bem mais ao Sul, horas antes, Marquinhos, aos 36 anos, entrou em campo na vitória por 1 x 0 do Avaí sobre o Figueirense. Foi uma homenagem do treinador Geninho ao maior ídolo da história do clube, com 93 gols marcados. Marquinhos vai encerrar a carreira ao final do ano e no seu currículo consta mais uma vitória sobre o grande rival. Na casa dele. Não interessa se foram apenas três minutos, o fato de estar em campo, foi uma alegria, para os avaianos, tão grande quanto a própria vitória.

E, em Portugal, a emoção foi em dose dupla. No campeonato português, um jogador só pode ser considerado campeão se participou de alguma partida. Não adianta ter ficado todos os jogos no banco, ter participado de todos os treinamentos, nada disso. Nada disso. Não jogou, não ganha medalha. E nem pode escrever no currículo.

Bem, com o título garantido, o treinado Sérgio Conceição deixou Iker Casillas de fora do último jogo, contra o Vitória de Guimarães. Jogou o brasileiro Vaná, por 80 minutos. E foi substituído por Fabiano, que passou os últimos quatro meses recuperando-se de uma contusão. Assim, Vaná, revelado pelo Coritiba, e Fabiano “Modragón”, um dos muitos goleiros que não conseguiu romper a “barreira” Rogério Ceni no São Paulo, podem dizer, com orgulho justificado que são campeões portugueses.

Não é só futebol, Renato.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>