Topo
Blog do Menon

Blog do Menon

Categorias

Histórico

Leco, presidente do Botafogo

Menon

2007-03-20T19:12:03

07/03/2019 12h03

Quando terminar seu mandato à frente do São Paulo, o presidente Leco pode sonhar em dirigir o Botafogo. Ou, pelo menos, assumir a diretoria de futebol.

Como propaganda eleitoral, poderá dizer que ajudou o clube mesmo na direção do São Paulo e que, agora, no cargo, poderá fazer muito mais.

Ão, ão, ão, Leco é do Fogão.

É uma explicação plausível para essa negociação com Diego Souza.

Relembrando:

O Sport pagou R$ 6 milhões por Diego.

O São Paulo pagou R$ 10 milhões ao Sport.

O São Paulo entrega "de grátis". Só faltou pagar a passagem de avião.

Estamos falando do artilheiro do clube na temporada.

Estamos falando de um elenco curto.

Estamos falando de um campeonato longo.

Estamos falando de um clube que não ganha nada há anos.

Estamos falando de um clube que saiu de um grande vexame.

A solução escolhida foi renovar o elenco? Começar de novo? Então, já devia ter começado. Falta pouco para o Brasileiro.

Mas, voltando à negociação.

O São Paulo exigia ressarcimento de um calote pela transação de Henrique Almeida, de 2016.

"Você me paga aquele calote de 2016 e te dou meu artilheiro de graça".

Não pago.

Tão bom, leva o artilheiro, mas me dá sua revelação.

Não dou.

Tá bom, leva o artilheiro e me dá preferência pela sua revelação daqui a dois anos.

Fechado.

O São Paulo comemora que não pagará mais os salários de Diego. Ótimo. E quem será o reserva de Pablo? Carneiro? Brenner? Fabinho? Vão ter aumento? Se não der certo, vão contratar outro? A que preço? E Nenê, vai sair?

O São Paulo remete à Sócrates.

"Só sei que nada sei".

A outra certeza é que Lecão da Massa será ídolo em General Severiano.

VEJA TAMBÉM:

Nenê não pode sair. Felipão explica

Sobre o Autor

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar.Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

Mais Blog do Menon