Blog do Menon

Arquivo : casemiro

Treze nomes para Tite iniciar a renovação necessária
Comentários Comente

Menon

A preparação da seleção brasileira começou errada. Tite não deveria continuar depois do trabalho regular e morno apresentado no Mundial da Rússia. E o segundo erro vem com os amistosos contra EUA e El Salvador. O que acrescentam estes adversários? Nada. Acho que a seleção deveria voltar a se reunir apenas em 2019, mas como teremos Copa América no Brasil é correto antecipar os trabalhos.

Da turma que foi à Rússia, eu daria um descanso para Neymar. Já que os rivais serão EUA e El Salvador, deixemos nosso maior craque de lado. Ele não é necessário e sua ausência temporária facilitaria dar chance a novos jogadores. O que eu acho, deveria ser a prioridade da convocação.

Também deixaria fora Thiago Silva e Miranda, que já passaram dos 30. Marcelo também. Ele é ótimo, mas fez duas Copas ruins. Pode voltar depois. Fernandinho e Paulinho, eu deixaria fora de qualquer plano. Duas Copas ruins de cada um. E olha que sempre fui fã de Paulinho. Taison? Não. Não. Alisson, também não levaria. Daria chance a Ederson.

Eu chamaria 13 jogadores novos. É hora de iniciar um novo ciclo. Nem todos chegarão ao Catar, mas a primeira chance deve ser dada agora.

Militão – É ótimo marcador, o melhor do Brasil no um contra um. Além de lateral, pode jogar de zagueiro também. Tem nove anos a menos e 20 centímetros a mais que Fagner.

Felipe –  É titular do Porto há dois anos e grande destaque do time. Tem altura (1,90m) e técnica. Tem 29 anos.

Dedé – O melhor zagueiro do Brasil. O melhor zagueiro brasileiro. Estava na lista dos 35. Tem 30 anos.

Arana – Misto de Marcelo e Filipe Luis, o que não significa que seja melhor que eles. Mas, aos 21 anos, é o substituto natural.

Maycon – Também com 21 anos. Volante que marca e chega ao ataque.

Arthur – Vai ser titular rapidamente, formando dupla com Casemiro. Marcará época na seleção. Foi um grande erro não estar na Copa da Rússia. Tem 22 anos.

Malcom – Agora, pelo Barcelona, tem tudo para aparecer ainda mais. Outro com 21 anos, vai ficar com o lugar de Willian.

Lucas Paquetá – Estava na lista dos 35 e dever ter oportunidade, apesar de haver decaído um pouco. Tem 21 anos.

Vinicius Júnior – Tem 18 anos e joga pelo Real Madrid. Precisa explicar?

Richarlison – Tem 21 anos e estreou pelo Everton fazendo dois gols. Veio do Watford. Tem experiência na Europa, força e técnica.

David Neres – Tem 21 nos, 54 jogos, 23 gols e 11 assistências pelo Ajax.

Pedro – Tem 21 anos e 25 gols pelo Fluminense. Tem grande poder de finalização e cabeceio. É um tipo de jogador que faz falta ao futebol do Brasil.

Paulinho – Apenas 18 anos, uma das grandes revelações recentes do futebol brasileiro.

Acho que a base da renovação passa por eles. Muitos estarão no Catar.

Apenas por curiosidade: eu escalaria a seleção com Ederson, Militão, Marquinhos, Dedé e Arana; Casemiro e Arthur; Douglas Costa, Coutinho, Richarlison e Pedro.

Dá para ganhar de EUA e El Salvador.

E vocês, convocariam quem?


Renovação sente falta de um 9 e de um 10
Comentários Comente

Menon

É hora de um novo ciclo na seleção. De um trabalho já visando 2022, com gente jovem chegando para se juntar ao que restou da Copa da Rússia.

Eu trabalharia com Ederson, Alisson, Marquinhos, Casemiro, Coutinho, Neymar, Jesus, Firmino e Douglas Costa.

À essa base, juntaria Dedé, o grande zagueiro do Cruzeiro. Tem 30 anos.

A renovação viria com Militão (São Paulo), Thuller (Flamengo), Felipe (Porto), Guilherme Arana (Sevilla), Maycon (Shakhtar), Paquetá (Flamengo), David Neres (Ajax), Paulinho (Leverkusen), Vinícius Jr (Real Madrid), Richarlison (Wattford). Ainda há Fernando (Shakhtar), Lyanco (Torino), Pedrinho (Corinthians), Jorge (Monaco) e Malcon (Monaco. E Rodrygo. É Thiago Maia.

Dos nomes jovens citados, Arthur é o melhor. Jogador para ser titular nas três próximas Copas. Deveria ter jogado na Rússia. Felipe, Vinícius Jr, Paulinho, Maycon e Militão me parecem prontos para grandes responsabilidades.

Então, está tudo bem?

Longe disso.

Não vejo um atacante com bom cabeceio, com poder de decisão, capaz de ganhar a disputa no ombro, no tranco, com chute cruzado. Alguém capaz de fazer os gols que a Croácia fez na Inglaterra.

Não é por acaso que Ricardo Oliveira e Fred ainda tenham mercado.

Meu amigo Luís Augusto Mônaco, do espetacular http://chuteirafc.cartacapital.com.br/ lamenta a auseausê de um 10 pensador. Um Alex. Se não der, um Ganso ou Lucas Lima mais dinâmicos.

Sem esse tipo de jogador, a construção de jogadas se faz muito pelos lados, com triangulações e aproximação. Vinícius Jr, Neres, Richarlyson, Pedrinho, Malcon, Rodrygo são bons exemplos, mas não se faz um time de uma única maneira.

O trabalho principal de Tite é descobrir um centroavante e um meia pensador para seu time. Pensador e dinâmico. Tem quatro anos para isso.


Tem coisa boa na seleção
Comentários Comente

Menon

Amigos,

A verdade é que o Brasil estreará na Copa nas quartas-de-final contra Bélgica ou Inglaterra. Talvez a Colômbia. Um amigo mais exigente e muito desconfiado da ótima geração belga, diz que será na semi, contra Argentina, França, Uruguai ou Portugal.

É uma realidade, os adversários até agora e mais o México estão muito longe da elite do futebol mundial, apesar de o ranking da FIFA se derreter todo pela Suíça. Vai entender…

É realidade também que a Alemanha tinha molezas no Grupo e já deve estar procurando um biergarten para afogar as mágoas.

E a Argentina, também com duas babás, teve de ouvir muito Gardel na preleção para, no último suspiro, ganhar a vaga. A favorita Espanha empatou com Marrocos e o Irã segurou Cristiano.

Então, vamos elogiar o Brasil. Depois de três jogos, é possível um balanço. O amargor de até agora fica por conta da fragilidade dos rivais.

A defesa vai muito bem. A rigor, teve apenas a falha contra a Suíça. Miranda e Thiago vão muito bem. Marcelo é ótimo no apoio e tem algum problemas defensivos. O contrario de Filipe Luís, que entrou bem contra a Sérvia.

Fagner está bem. O único problema é a falta de altura, que não permite que ajude na bola aérea.

Casemiro ajuda a criar essa solidez. Um grande volante.

Coutinho é o melhor. Participativo, habilidoso e decisivo. Um solucionador. Ou faz o primeiro gol ou a primeira assistência.

Os outros estão jogando abaixo de seu nível, estão rendendo menos do que podem. Menos o goleiro, que não foi exigido.


Tite e os oito últimos passageiros rumo a Moscou
Comentários Comente

Menon

Em entrevista aos repórteres Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida, do UOL, Tite definiu 15 nomes para a Copa do Mundo. Faltam, então, oito nomes. E eu me lembro do colega Roberto Benevides, com quem cobri a seleção brasileira lá no início dos anos 90. Eu dizia “Parreira deve chamar fulano” e ele me explicava: “você está raciocinando com os seus conceitos. Precisa raciocinar como se você fosse o Parreira, com os conceitos dele. Assim, fica mais fácil”.

Vou tentar fazer isso. E vou, já que eu sou muito aparecido, dar meus palpites também.

O interessante – e muito bom – é que vejo muitas notícias sobre o fato de o tal “radar” de Tite estar muito aberto. A cada semana, fala-se de outros nomes. Tite está aberto a novas chamadas.

Os nomes definidos por Tite são:

Goleiros – Alisson

Laterais – Daniel Alves e Marcelo

Zagueiros – Miranda, Marquinhos e Thiago Silva

Volantes – Casemiro e Fernandinho

Meias – Renato Augusto, Paulinho, Coutinho, Neymar, Willian

Atacantes – Gabriel Jesus e Firmino.

Defini a lista baseando-me no esquema 4-1-4-1 e as especulações também serão feitas pensando assim.

O que falta então?

Goleiros

EDERSON – é uma certeza, acredito mesmo que Tite tenha tido um lapso de memória ao não dizer seu nome.

CASSIO – Teve uma chance contra o Japão e falhou, sofrendo um gol de cabeça, em que ficou estático no gol. Mesmo assim, tem muita confiança do treinador.

Os outros nomes perderam espaço. Wendell é terceiro goleiro do Palmeiras. E Tite deixou claro que Vanderlei não é uma opção concreta para ele. Talvez Diego Alves tenha uma oportunidade, mas o jogo parece definido.

Minha opinião – Também levaria Cássio e Ederson

Laterais

DANILO – Teve chance de jogar como titular contra o Japão e rendeu bem. Como Fagner está caindo muito, ficou bem perto da Copa. Edílson deve ter alguma chance, mas não creio que ameaçará.

ALEX SANDRO – Jogou bem contra o Japão e, como é mais talentoso, deve ganhar a vaga de Filipe Luiz. Arana pode ser uma surpresa.

Minha opinião – Levaria Danilo e Filipe Luiz. Sou retranqueiro.

Zagueiros

RODRIGO CAIO – Jémerson falhou feio contra o Japão. Foi superado na bola alta, o que é lamentável, quando falamos de atacantes japoneses. O zagueiro do São Paulo tem sido muito constante nas chances que teve na seleção (mais do que no clube) e tem a admiração de Tite pela conduta na seleção olímpica e por uma certa liderança.

Minha opinião – Eu levaria Geromel, sem dúvida. Tem jogado em alto nível há tempos. E, para esticar um pouco, não levaria Thiago Silva e teria muitas dúvidas em relação a Marquinhos. Mas, como eles estão definidos…

MEIAS E ATACANTES

Com Casemiro e Fernandinho definidos, não haveria mais vagas para um volante, para o homem mais atrasado do meio. Mas é importante notar que Tite tem dado chances a Fernandinho na linha de frente (como um dos 4 e não como o 1), o que abriria uma vaga mais atrás. Tite também busca um atacante mais incisivo pelos lados do campo. O tal radar estaria olhando para Richarlison, David Neres e Malcon. E um atacante de área, mais fixo também seria uma opção. Por isto, fala-se em Willian José, que se machucou. No meio, há Lucas Lima, Diego Souza e Talisca, que está sendo observado, além de Giuliano. Douglas Costa, Taison e Luan.

Acredito que os nomes de Tite serão:

ARTUR – Penso que as experiências com Fernandinho abrem uma fenda enorme para o garoto do Grêmio.

MALCON – Está jogando muito na França.

GIULIANO – Teve muitas chances com Tite, correspondeu e não vejo ninguém “atropelando” em sua posição.

Eu levaria Artur, Malcon e Jô. Para mim, é fundamental ter um atacante de área, com presença, bom de cabeça.

Assim, acredito que os oito passageiros de Tite serão: Ederson, Cássio, Danilo, Alex Sandro, Rodrigo Caio, Artur, Giuliano e Malcon.

Os meus seriam Ederson, Cássio, Danilo, Filipe Luiz, Geromel, Artur, Malcon e Jô.

E vocês?


Pouco Neymar para muita retranca
Comentários Comente

Menon

Catenaccio italiano. Ferrolho suíço. E o que a Inglaterra apresentou contra o Brasil, como se chama. R E T R A N C A. Me lembrou de uma foto da seleção do Uruguai, no Maracanã, na véspera do jogo decisivo da classificação para a Copa de 94. Os 22 jogadores, mais dirigentes e ídolos da Copa de 50 posaram na frente do gol. Um recado de que não passaria nada. Romário não viu a foto e logo fez dois gols e acabou com a pose celeste.

Neymar foi o melhor do Brasil no duro teste. Um lindo passe de trivela para Gabriel Jesus, algumas arrancadas, bons passes, mas faltou muito. Faltou porque nada mais funcionou e tudo ficou em suas mãos. Ou pés. Precisava ter brilhado mais, ousado mais, triplicado o que fez. Talvez assim, o Brasil vencesse.

E, se o brilho de Neyar foi insuficiente, o motivo está na má partida dos outros. Ao se fechar, com cinco zagueiros e três volantes e tendo pouca velocidade de contra-ataque, a Inglaterra deu um grande espaço para o Brasil trabalhar no meio-campo.

E não funcionou.

Faltou a projeção de Paulinho ou até de Casemiro. Uma chegada forte, vida de trás. Só apareceu com Fernandinho.

Faltou jogo ofensivo aos laterais. Daniel estava irritado e Marcelo, blasé. Pouco ataque.

Faltou drible.

A meu ver, Tite deveria ter colocado Willian ao lado de Coutinho, saindo Renato Augusto. Ele preferiu tirar Renato Augusto e colocar Fernandinho. Uma opção válida que ele tem levado em conta.

Em resumo, no dia em que pôde escalar sua seleção principal, com todos os titulares, Tite não conseguiu descobrir o segredo do cadeado. Precisava de um mágico. E o mágico foi bom, apenas. Precisava ser ótimo, já que os assistentes….


Schmidt, Casemiro, Marquinhos….Viva a incompetência!
Comentários Comente

Menon

joaoximitJoão Schmidt ganha R$ 60 mil. O São Paulo ofereceu R$ 120 mil. O jogador não aceitou e comunicou que irá jogar na Itália daqui a seis meses. E que já fez uso da prerrogativa que a lei lhe dá para assinar um pré contrato com o Atalanta. Tudo muito simples. Tudo dentro da normalidade. O que o São Paulo poderia fazer? Nada. O jogador quer sair e sairá. Já saiu. Nada a criticar.

Mas, e lá atrás? Quando João Schmidt ainda se chamava João Felipe e era, ao lado de Rodrigo Caio, uma joia de Cotia? Quando participava de seleções de base? Ali, no nascedouro da carreira, não houve nenhum avaliador pago pelo clube para ver que o volante canhoto e de bom passe tinha potencial para se transformar em um jogador de alto nível?

Ninguém viu. Nem quando ele voltou de Portugal cheio de boas referências. Talvez quando houve uma oferta do Avaí? Mas aí, já era tarde demais. O jogador se vai no momento melhor da carreira no clube. Com mercado no Exterior. Vai, leva seu futebol e nenhum mísero centavo de guarani paraguaio entra nos cofres do clube.

O São Paulo está propondo 1,1 milhão de dólares por 50% dos direitos de Cristián Coman (quem?) e não recebe nada por Schmidt.

Os clubes brasileiros administram muito mal suas categorias de base. Gastam dinheiro em jogadores que não analisam e cujo potencial não é notado.

A base revela cinco tipos de jogadores:

1) Para as grandes ligas: gente como Lucas, Neymar, Gabriel Jesus etc

2) Para a China

3) Para as ligas médias ou clubes médios de grandes ligas

4) Para o próprio clube: Jean é o maior exemplo. Nunca joga mal. Ficou cinco anos de graça no São Paulo. Quanto Flu e Palmeiras pagara por ele?

5) Para clubes menores: Nathan, no Criciuma, William Arão na Portuguesa…(antes de estourar no Flamengo).

O clube grande pode perder jogadores, ninguém está obrigado a acertar sempre: Rivellino treinou no Palmeiras, Telê recusou Ronaldo Fenômeno etc etc.

O clube pode perder alguém que foi fazer teste, que estava mal no dia, acontece. Mas, depois que o jogador está na base, está fazendo sucesso, precisa render dinheiro. Em uma das cinco opções que coloquei.

Não pode errar como o São Paulo errou com João Schmidt.

Não pode errar como errou com Casemiro. Quantos técnicos passaram no São Paulo e não conseguiram definir a posição ideal de Casemiro? É volante, é segundo volante, é meia, é zagueiro… Chegou na Europa e se achou.

Engraçado é a torcida culpar o jogador e não o erro de avaliação de outros profissionais. Corporativamente, acham que um crítica à uma avaliação errada é ao clube e não a um profissional.

Preferem culpar o jogador. Dizem que Casemiro é mascarado, que gostava de balada. Que tinha inveja de Lucas. Não se lembram que ele se recusou a fazer com o clube o mesmo que Oscar fez.

E se fosse mascarado? E se gostasse de balada? Que erro, não? Com 20 anos e gosta de balada… Só rindo.

Com tudo de errado sendo verdade, o clube errou na avaliação. Não viu que tinha nas mãos um jogador para 40 milhões de dólares.

E o Corinthians, que perdeu Marquinhos de graça para o futebol da Europa? O cara jogou 14 partidas e foi para a Roma por R$ 8,2 milhões. Depois de 30 jogos na Itália, foi para  o PSG por 31 milhões. De EUROS.

E Fagner, que fez oito jogos e foi para a Holanda, deixando um bye bye de recordação.

Michael Beale, o auxiliar inglês de Rogério Ceni, disse que não há jogador melhor que o brasileiro. E o sul-americano.

São joias. Muitas vezes os clubes não percebem como podem ser valiosas.

picadinhomenon

JÁ VAI TARDE – Bernardinho é um grande treinador, é um líder, glorificou o vôlei do Brasil. É campeão olímpico. Concordo com tudo, mas escalou a seleção para entregar um jogo. O Giba contou. Ah, quem vai substituir Bernardinho? O Renan. Não sei se vai ser melhor ou pior, mas se entregar um jogo terá o meu desprezo, como já tem o Bernardinho.

AUTÔNOMOS DA FIEL – Quarta à tarde, possivelmente depois de uma feijoada, os fiéis vão ao Centro de Treinamentos, que é muito longe, fazer pressão sobre um técnico inexperiente que terá honra de dirigir um dos grandes clubes do mundo. Colocar pressão sobre uma diretoria que luta contra a falta de dinheiro. A atitude é imbecil, mas o que me incomoda é a disposição de tempo. Ninguém da turma trabalha? Os patrões permitem a falta? Ou são todos autônomos, todos pejotinhas?

CHUTEIRA F.C – Quero convidar vocês o CHUTEIRA , um site comandado por gente muita talentosa. Companheiros de tantos anos de estrada, quando a gente era jovem, bonito e matador do JT. Prósperi, Guto e Mateus são referência, com currículos brilhantes. Baptistão é só o melhor chargista do mundo. Luiz Ruffato é um escrito talentosíssimo. Chico Bicudo faz crônicas inolvidáveis, E tem ainda Eduardo Castro, nosso enfant terrible, Carles Martí, Chico Maia e Zé Edu, o melhor editor com quem eu não trabalhei.

 

 


Sem Neymar, seleção de Dunga não entusiasma. A minha e a sua, também não
Comentários Comente

Menon

Dunga falou várias vezes sobre um tal Centro de Inteligência que o ajudou na convocação. Pode ser ótimo, mas não rendeu nada deneymarcaricatura diferente do que estava sendo feito. O que se vê é uma seleção que não deixa o torcedor confiante. E nem feliz. Mas, justiça seja feita, o que poderia ser feito de melhor?

Qual o grande craque que fica fora da Copa América? Neymar, é claro. A opção por tê-lo na Olimpíada em vez da Copa América é um erro. O importante é usar a competição para montar o time para as Eliminatórias. Não vai ser feito. Neymar estará correndo atrás do tal grande titulo que o Brasil nunca conquistou, ao lado de jovens talentosos e que não estarão nas Eliminatórias.

E, se com Neymar, a seleção já não empolga, imagina sem ele. Temos mais do mesmo, sem craques. É o mesmo que dançar com a irmã. Um time bom, ok, mas que não mete medo em ninguém.

Eu me preocupo com os zagueiros. Miranda, Gil, Marquinhos e Rodrigo Caio são bons, uns melhores que os outros, mas apenas isso. Bons. O mérito é afastar David Luiz, o zagueiro feliz.

Casemiro e Filipe Luiz são os representantes do Brasil na final da Liga dos Campeões. São bons, mas não são decisivos. Filipe Luiz não é meu tipo de lateral, eu o acho muito conservador. E não marca tão bem assim.

Ganso poderia ser uma boa novidade. Poderia acrescentar algo à seleção. Mas, convenhamos, Ganso precisa ser mais constante no São Paulo para ser uma certeza na seleção.

E qual seria a sua seleção? Com certeza, não teria muitas diferenças. Com certeza, não entusiasmaria.


Casemiro, Ganso, Pato, Jadson….Como são ruins os nossos “professores”!
Comentários Comente

Menon

O nível dos atuais treinadores brasileiros é fraco. Qual a contribuição que deram ao futebol mundial? Lembremos que Vicente Feola surpreendeu e 1958, escalando Zagallo na ponta-esquerda, em um 4-3-3 muito moderno, que o próprio Zagallo montou uma seleção sem centroavante em 1970 e que Telê apostou em muita rotatividade, com deslocamentos e volantes – Falcão e Cerezo – de altíssimo nível técnico. Há ali algo de Guardiola, muito tempo antes. Por favor, vira-latas, eu disse algo, não disse tudo, não disse que Guardiola plagiou Telê e nem que a seleção de 82 é a gênese do Barcelona.

De uns tempos para cá, os treinadores brasileiros atuam em forma de manada. Todos seguem, bovinamente, uma ideia que nunca é original, que nunca foi criada pelo próprio rebanho. Há uma década, era o 3-5-2, depois o 4-4-2 e agora o 4-2-3-1. Ninguém sai do ramerrão. A exceção é Tite, com seu 4-1-4-1 com Elias. Não é ideia dele. Há pouca ousadia, como no último clássico, quando Cuca montou um 4-4-2 (tão esquecido, tão “old school”) que permitiu a Gabriel Jesus jogar com mais liberdade e deu um nó em Tite.

E mesmo para quem copia, os nossos “professores” estão ultrapassados. As novidades demoram a chegar. Ninguém tenta copiar Bielsa ou Sampaoli, técnicos inovadores. Alguém aí escala o time no 3-4-3?

Há alguns casos recentes de falta de talento, paciência e excesso de arrogância dos treinadores que levaram os seus empregadores a sofrerem grande prejuízo.

1) Casemiro – Campeão da Copa São Paulo em 2010, era um dos destaques do time, ao lado de Lucas. Foi levado ao time de cima. Atuou por 112 partidas e fez 11 gols. Foi treinado por Milton Cruz, Sergio Baresi Carpegiani Adilson Batista, Leão e Ney Franco. Nenhum deles conseguiu descobrir a melhor posição para ele. Falavam em primeiro volante, segundo volante, meia e até quarto zagueiro. Nunca teve continuidade.

Um dia, após vitória por 3 a 1 sobre o Corinthians, chorou na saída do campo. Disse que não era entendido e que não recebia o mesmo carinho de Lucas. Aquilo me soou como insegurança e quase um pedido de socorro de um jovem de 20 anos. Para muitos, foi sinônimo de máscara. Fácil julgar quem tem 20 anos. E lá se foi Casemiro para o Real Madrid B. Jogou bem. Foi para o Porto. Jogou bem. Voltou para o Real Madrid A e jogou muito. Detalhe: desde o primeiro treino, foi definido que ele seria primeiro volante. Perceberam na hora o que não se viu aqui. E o São Paulo vendeu uma revelação por pouco dinheiro.

Com ajuda da torcida, que o vaiava como havia vaiado Kaká há alguns anos. Hoje, não há dúvidas que, abaixo de Kaká,  Casemiro, ao lado de Lucas, é a maior revelação do clube nos últimos 20 anos. E só um foi aproveitado. Só um deu lucro.

2) Ganso e Jadson – Quando Ganso foi contratado, perguntei a Ney Franco se ele jogaria ao lado de Jadson. E ele, com a certeza que é comum aos gênios e aos imbecis, disse, sem nenhuma indecisão, sem nenhum medo de errar, que havia um lugar apenas para eles. Os dois disputariam posição no seu 4-2-3-1. Nunca pensou em mudar de esquema, nunca pensou em abrir mão de princípios para colocar os dois em um mesmo time. Jadson não gostou de perder o lugar, descuidou-se do físico, não teve uma atitude profissional. E foi para o Corinthians, onde Tite o colocou ao lado de Renato Augusto. Se deu certo com Renato Augusto, por que não poderia dar certo com Ganso?

3) Pato – No São Paulo, com Osorio, Pato jogou muito bem pelo lado do campo, entrando em diagonal. Como Ribery e Robben. Novo recado aos vira-latas: não digo que ele seja igual ao francês ou ao holandês; apenas que ele rendeu bem – 26 gols no ano – no mesmo estilo. E no Corinthians? Independentemente de ficar marcado pelo ridículo pênalti contra Dida, independentemente de não ter o perfil que o corintiano gosta, a verdade é que Tite, o badalado Tite, não conseguiu fazer com que ele jogasse. Não conseguiu achar um lugar no time para ele. Como Osorio fez.

Há muitos exemplos. Marcelo joga no Real e é reserva do limitado Filipe Luiz, no time de Dunga.

Há muitos exemplos. Cada um deve lembrar do seu.

Treinadores ultrapassados e sem luz própria são sinônimo de dinheiro perdido. E, muito pior, são uma das causas do atual momento do futebol brasileiro, totalmente sem ideias. Ou alguém duvida que um treinador antenado não faria um bom time com esses mesmos jogadores chamados por Dunga?


Torcida do São Paulo atrapalha mais do que ajuda
Comentários Comente

Menon

Ausente dos estádios e estridente nas redes sociais, a torcida do São Paulo tem sido um peso para o time. No Pacaembu, são 3 mil desanimados – 14 mil em um clássico contra o Palmeiras – e no computador, milhares de cornetas. O resultado de tão bizarra preferência é um time abandonado no campo e perseguido virtualmente. E montanha abaixo.

As desculpas para ausência são o preço caro e a má fase do time. A primeira até se justifica. O sócio torcedor paga mais do que um membro da organizada. Quanto à má fase, está ai um paradoxo. Time fraco é que precisa de apoio. Se a torcida não vai, o time fica mais fraco ainda. A torcida deveria ir ao estádio e ajudar o time a crescer e não esperar o time crescer para ir ao estádio.

A comparação com as torcidas do Palmeiras e do Corinthians – falando-se em comparecimento – é vexaminosa. Nem no jogo contra o Strongest lotou o Pacaembu. Pelo menos 4 mil lugares ficaram vazios.

A perseguição a alguns jogadores é terrível. Vejamos alguns casos.

1) Maicon – O volante de bom passe, bom chute de meia distância e uma lentidão exagerada caberia no atual elenco. Poderia participar como titular ou reserva. Foi para o Grêmio após sessões contínuas de vaia.

2) Michel Bastos – Jogador versátil, com bom chute, é perseguido desde que mandou a torcida calar a boca. A torcida é uma entidade que não aceita críticas e nem respostas. Pode vaiar, pode apitar, pode ofender. Não pode receber um gesto com o dedo sobre os lábios. Michel não vai continuar e pode ser trocado por Alex, do Inter.

3) Denis – Este é o caso mais bizarro. Denis foi perseguido porque sua mulher ousou cornetar Rogério Ceni. Sua mulher, não ele. Denis se humilhou. Pediu desculpas em público. Eu nunca faria isso. Diria que ela é minha mulher e que eu não tenho nada com o que ela posta no twitter. Não adiantou. Até hoje, a cada erro, é lembrado pelo que a mulher escreveu.

4) Auro e Lucão – A torcida adora pedir jogadores da base. Quando falham – e falharam feio – não têm comiseração. As contas de twitter dos dois foram invadidas com ofensas. Auro está no Linense. Lucão continua no clube.

5) Rodrigo Caio – Jogador jovem, com 22 anos, mercado internacional, foi menosprezado por um aspone do presidente Leco. E Leco não tomou atitude contra seu assessor.

6) Centurión – O argentino reconhece que anda mal e pede que os torcedores não relacionem isso com a saúde de sua noiva. Diz que é falta de respeito.

7) Casemiro – Vaiado aqui e aplaudido pela torcida do Real Madrid

O São Paulo começa uma série de quatro partidas que irá definir seu futuro na Libertadores. Possivelmente precisa ganhar todas. Terá mais sossego e tranquilidade na Venezuela e em La Paz do que atuando em casa.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>