Blog do Menon

Paulinho x Vinícius Jr., um duelo que faz bem para o Brasil
Comentários Comente

menon

No sábado, Vinícius Jr. entrou e mudou um jogo. Deu um belo chapéu e sofreu o pênalti que deu a VITÓRIA sobre o Coritiba. No domingo, Paulinho começou desde o início e foi fundamental na vitória do VASCO sobre o Galo. Fez história ao superar Vinícius Jr e Brenner, do São Paulo, tornando-se o primeiro jogador nascido em 2000 a marcar em um Brasileiro.

Quem é melhor? A batalha tomou conta das redes sociais. Os vascaínos curtindo, com todo o direito, o momento de glória de seu garoto, afirmavam que Vinícius Jr. era marketing e só. Que o bom da dupla é Paulinho. Como se apenas um fosse bom. E o pessoal do Flamengo, argumentava sacando o talão de cheques. O Real Madrid pagou 45 milhões de euros por quem mesmo? Como se o argumento pecuniário resolvesse tudo.

Para mim, vence o futebol brasileiro, cumprindo sua gloriosa missão de se renovar a cada ano, a cada semestre. Os dois e mais Alanzinho, do Palmeiras, foram fundamentais no Sul-americano sub-20. Os três e mais Brenner podem trazer o mundial da categoria para o Brasil.

Procurei o amigo Dassler Marques, especialista em futebol. E em futebol de base também. Pedi que ele falasse sobre os dois.

''Os dois estiveram juntos no título sulamericano. Foram os dois melhores do Brasil. Começaram no mesmo nível, mas do meio para o final, Vinícius se tornou protagonista. Ele é um jogador inventivo, ousado, grande poder de drible, qualidade nas duas pernas, presença física, assistência e gols. Se melhorar o trabalho sem bola e jogar mais coletivamente,ser menos individualista, tem tudo para ser um dos melhores do mundo. Por isso, o Real Madrid pagou tanto. A expectativa sobre ele é muito grande, muita pressão para quem acabou de fazer 17 anos.

O Paulinho entrou em um cenário com menos expectativa, o que facilita. É forte, inteligente, eficiente, sabe construir jogo e vem de temporadas muito boas na base.

Os dois são muito bons e é besteira diminuir o Vinícius Jr por conta do que o Paulinho fez contra o Galo, até porque o Vinícius também jogou bem contra o Coritiba''

O bacana, eu acho, não é partir para comparações excludentes e sim imaginar os dois, na Copa de 2022, formando um trio com o recém trintão Neymar.

 

 



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


7 motivos para o São Paulo não cair
Comentários 15

menon

during the Serie A match between Juventus FC and Torino FC at Juventus Arena on October 31, 2015 in Turin, Italy.

Uma queda de time grande não é uma queda anunciada. Ela vai se construindo a cada dia. E começa antes do início do campeonato. Começa anos antes. Começa fora de campo, com falta de gestão, falta de transparência e de democracia. O São Paulo, o ameaçado da vez, mudou estatuto, prorrogou mandato, teve presidente ladrão e jogou a sujeira para debaixo do tapete.

Seguiu a cartilha da queda direitinho, mas algumas atitudes da diretoria e algumas características do elenco deixam aberta a possibilidade de reação. São a vacina contra o mal.

  1. O fator HPPrL – Hernane Petros e Pratto são profissionais comprometidos, de muita personalidade e com liderança. São atletas que cuidam do físico e respeitam a profissão. São comandantes que podem levar o restante da tripulação a remar para o mesmo lado e evitar a queda. Hernanes e Pratto, além disso, possuem bom nível técnico, mais do que Petros, que considero inferior a Thiago Mendes. Lugano é o quarto elemento da turma, apesar de não entrar em campo
  2. Cueva – O peruano deu sinais de reação  na derrota contra a Chapecoense e os confirmou contra o Vasco. Ele foi o melhor jogador do ano passado e sua queda de rendimento foi terrível para o time. No gol contra o Vasco, deu um passe espetacular para Pratto. E, na comemoração, ficou demonstrado a diferença entre os dois. O argentino vibrou muito e o levantou para que todos vissem. Estava jogando pelo grupo, estava dando moral a Cueva, que, praticamente não reagiu. Mostrou apenas timidez. De Cueva, pode-se esperar apenas bom futebol. De Pratto, bom futebol e comprometimento.
  3. Poucos gols sofridos – O São Paulo está em 18º lugar, antes de completar a 16ª rodada. Se vencer, ficará em 16º. E é a sétima melhor defesa, ao lado de Palmeiras (quinto lugar) e Avaí (17º). Tem saldo negativo de três gols, muito melhor que os seus concorrentes como Atlético-GO (16), Vitória (13), Avaí (8), Furacão (8), Coritiba (5), e Chape (6). É um time que não foi goleada nenhuma vez, embora tenha levado três gols de Corinthians e de Santos.
  4. Boa atuação na janela – O que ajuda um time grande a não cair é ter dinheiro (ou crédito) para se reforçar. O São Paulo, que perdeu muitos jogadores importantes, conseguiu reforços de bom nível. Arboleda e Petros estão jogando bem. Gómez, não, mas tem comprometimento. Hernanes e Marcos Guilherme são esperanças baseadas em bom futebol. Ainda há boas opções no elenco como Jucilei, o mais regular do time, Renan Ribeiro e reservas como Marcinho, Lucas Fernandes e Gilberto. Tem ovos para fazer uma omelete salvadora.
  5. Morumbi – O São Paulo realizou sete jogos em casa. Ganhou quatro – Palmeiras, Vasco, Vitória e Avaí – empatou com Fluminense e Dragão e perdeu para o Galo. Disputou 21 pontos e ganhou 14. É um aproveitamento de 66,6%, quatro pontos a cada dois jogos. Se mantiver essa média até o final do campeonato, terá conseguido 38 pontos. Faltará pouco para os 46 salvadores.
  6. Torcida – A torcida do São Paulo tem comparecido e ajudado o time. Um papel muito bonito por perceber que a razão de sua paixão está sofrendo. O time está na rabeira e tem a quarta melhor média de público como mandante. Na quinta-feira ,de frio, às 19h30, havia 23 mil contra o Vasco. Contra o Grêmio, já foram vendidos 25 mil ingressos.
  7. Dorival Jr. – Considero Rogério Ceni uma vítima e não o culpado pela situação. Mas há um novo treinador e ele acertou em algumas coisas. Optou por um jogo de posse de bola e pela manutenção de um time-base. A posse de bola faz com que o time tenha domínio tático do jogo e evite loucuras que eram comuns antes, com um time muito desequilibrado, algo que Ceni já tratava, sem muito sucesso, de corrigir. E a manutenção de uma base faz com que o time evolua. Além disso, Dorival detectou que Júnior Tavares estava muito mal na marcação e o trocou por Edimar. Dará certo?  Dorival conseguirá recuperar Wellington Nem? E o ataque, conseguirá ser mais efetivo? Até agora, foram apenas 15 gols. São desafios prontos para Dorival e suas primeiras atitudes dão esperança de solução.



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Paulinho comanda Vasco do terceiro milênio
Comentários 7

menon

Olhem duas fotos de Paulinho, que se transformou, contra o Galo, no primeiro jogador nascido a partir de 2000 a fazer um gol no Brasileiro. E foram logo dois, superando Vinicíus Jr, do Flamengo, o garoto que vale um estádio, e Brenner, do São Paulo. Olhem como Paulinho ganhou força. Como o Paulinho sub-15 é diferente do Paulinho sub-17.

Ganhou força e não perdeu habilidade, o que é muitíssimo importante. Com 17 anos, foi o destaque do Vasco, que terminou o jogo ainda com Paulo Vítor, 18, Mateus Vital 19, e Guilherme Costa, veteraníssimo, com 23, em campo.

É o caminho para o futebol brasileiro, fadado a vender jovens promessas. É só lembramos de Douglas, também do Vasco, que foi para o Manchester City há alguns dias, com menos de 20 anos e menos de 40 partidas pelo clube.

Paulinho, Brenner e Vinícius Jr. podem formar o ataque do Brasil no Mundial sub-17. Todos profissionais. Todos já com o Brasileiro no currículo.

É o futebol que se renova a cada semestre.

Paulinho estreou contra o Vitória e deu um passe para gol. Jogou contra o São Paulo e foi muito bem. E, agora, fez dois no Galo.

Importante saber que, talvez, não jogue bem na próxima. Ou nas próximas. Importante ter paciência e preservar o garoto. Importante saber também que, talvez não seja nada disso e que ele já esteja pronto para jogar como Gabriel Jesus, Douglas e tantos outros.

Importante é ficar feliz pela renovação e por ver o Vasco bem melhor do que se previa. Um Vasco forte e renovado. Vascão terceiro milênio



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Impressionante Corinthians!!!
Comentários 21

menon

E haja ponto de exclamação.

A campanha do Corinthians é um desafio para todos. Para os adversários, que tentam decifrar ESFINGE que faz jogadores SONHAREM com a seleção. Para os jornalistas que precisam buscar novos enfoques para explicar o mesmo estilo, que se repete a cada jogos. E para o próprio Corinthians, para manter o nível de concentração e de desempenho. E o Corinthians é que tem se dado muito melhor que os outros no desafio.

É um time que tem superado todos os desafios que aparecem à sua frente. Como escrevi há alguns dias e repito aqui.

Se o Corinthians superar essa hora da verdade, não será a primeira. Vejamos.

Ah, quero ver quando começar o Paulistão…

Ah, quero ver quando começar o mata mata do Paulistão…

Ah, quero ver pegar o Palmeiras…

Ah, quero ver começar o Brasileiro…

Ah, quero ver quando a tabela engrossar…

Ah, quero ver quando Rodriguinho, Fagner e Balbuena forem para a seleção…

Ah, quero ver quando pegar o Grêmio no Sul…

Ah, quero ver quando pegar o Palmeiras fora de casa…

O Corinthians passou por tudo. Venceu o Palmeiras dentro e fora. Venceu o Grêmio em Porto Alegre. Sem os selecionáveis, venceu três seguidas. Foi campeão paulista. Lidera, ainda com folga, o Brasileiro. É um time que superou seus limites. E os limites impostos por outros.

A luta continua.

Agora, faltam 22 jogos e 66 pontos.

Corram atrás do líder, no mínimo seis pontos de vantagem sobre o Grêmio.



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Bruno Henrique comandou a justa vitória verde
Comentários 2

menon

O Palmeiras jogou muito bem e conseguiu bela vitória em Recife. Os gols saíram na fase final do primeiro tempo e podem dar a impressão de um domínio passageiro, mas não foi isso. O Palmeiras teve o domínio tático do jogo, desde o início.

Luxemburgo montou uma ala esquerda com Sander e Mena, dois laterais, talvez para segurar Roger Guedes, que só entrou no final. E foi por ali, o lado mais fechado, que o Palmeiras dominou, com chegadas de Eryk e Jean.

O domínio do Palmeiras era grande no meio campo. O time aproveitou-se de um erro de posicionamento do Sport. Diego Souza jogou muito adiantado, formando dupla de centroavantes com André. E tome bola aérea. Os volantes avançaram para armar. E o Palmeiras, desarmando muito, rendia nos contra-ataques. O escanteio do primeiro gol saiu assim, com gol de Bruno Henrique, de cabeça.

O segundo também, com roubada de Bruno Henrique e lindo passe para Keno.

A partir daí, o Sport atacou mais. Colocou Rogério e tirou Sander. Passou a ter mais posse de bola e teve uma boa chance com a cabeçada de Diego Souza no travessão. Mas o Palmeiras, comandado por Bruno Henrique e Thiago Santos, se defendeu muito bem. O time terminou com 31 faltas contra 20 do Sport. E teve ainda a maior chance do jogo. Duas no mesmo lance, com Keno. Agenor fez valer o apelido de Ageneuer.

Palmeiras venceu sem sustos.



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Waldir Peres, grande goleiro, patinho feio de 1982
Comentários 1

menon

Waldir Peres foi um grande goleiro. Ágil, bem colocado e com grande capacidade para amarrar o jogo. Rei da catimba, foi fundamental na conquista do título brasileiro pelo São Paulo em 1977. Fez 617 jogos pelo São Paulo, para onde foi, após brilhar na Ponte Preta. Jogou as copas de 74, 78 e foi titular em 1982. Teve uma falha incrível e ficou marcado como o elo mais frágil de um elenco de craques. O que não é demérito quando se lê a escalação do time perdedor.

AQUI EU FIZ UMA ENTREVISTA COM ELE, EM 2015.

Ele contou sobre a carreira e sobre o papel dos sonhos em sua vida.

 



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Santos é clube mundial, maior que a Vila
Comentários 39

menon

Escrevi AQUI que Deyverson e Aderllan haviam dado um passo à frente ao trocarem Alavés e Valencia por Palmeiras e São Paulo, respectivamente. Expliquei o motivo. Valencia e Alavés são clubes de uma cidade. Palmeiras e São Paulo são clubes de uma cidade, um estado e um país. São cubes nacionais, como Real Madrid e Barcelona.

Caíram matando pela comparação com os gigantes da Espanha. No tweeter, ameaçaram printar meu comentário. Para quê? Teria de passar eu por um corredor polonês e ser agredido com a opinião impressa? Na verdade, posso ter errado. Posso. A globalização e o dinheiro que sobra lá e falta cá fizeram de Barcelona e Real Madrid, clubes mundiais. Estão presentes entre os equimós e os pigmeus, entre os bolivarianos e os gulaganos. Em Galápagos, Faroe, Falkland e Malvinas.

É uma inserção impossível para nossos grandes. Por isso, vendemos e por isso, eles compram. E pagam pouco pelo valor do que vendemos.

O Santos já foi um time mundial, considerando-se as diferenças mundiais entre as épocas. Não éramos uma aldeia global, mas o time de Pelé era amado no mundo todo. Poderia ter trazido muito dinheiro ao clube, nada considerado com o que se movimenta hoje, mas muito mais do que o zero que se lucrou.

O que não pode é o Santos ser apenas um time da Vila Belmiro. O jogo contra o Bahia provou, mais uma vez. Um público de 35 mil pessoas. Quando a Vila lota, são 12 mil pessoas. E não tem lotado, sabe-se lá o motivo.

Um clube não pode ficar longe de suas origens, não pode ficar longe de seu povo. Mas o Santos precisa entender que é muito maior que a cidade de Santos. O Santos já foi um time mundial. E precisa lutar para reconquistar isso.

Jogar no Pacaembu é um passo. Fazer pré temporada no Nordeste é outro.

Nos tempos de hoje, não se faz futebol sem dinheiro. Muito menos, rasgando dinheiro.

E, para não dizer que não falei das flores, como é lindo ver aquelas camisas brancas tratando bem a bola, com passes, dribles e triangulações. Três a zero foi ótimo. Seria assim na Vila?



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Prata espetacular. Contra os criminosos e com Cielo de volta
Comentários Comente

menon

Cesar Cielo. Trofeu Maria Lenk de Natacao, realizado no Centro Aquatico Olimpico. 14 de abril de 2016, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/ SSPress

O Brasil conquistou prata no revezamento 4x100m metros livre masculino no Mundial de Natatação. Ficou em segundo lugar, apenas 0s28 dos Estados Unidos. Na última piscina, quando se completou 350m de prova, a distância era de 0s02. Os nadadores brasileiros foram Gabriel Santos, Marcelo Chierighini, Cesar Cielo e Brun Fratus, pela ordem de entrada na piscina.

Além da excelência do resultado, a prata é espetacular por outros motivos.

Ela vem em um momento de início de reconstrução, após o afastamento de Coaracy Nunes e sua turma, acusados de malservação de dinheiro do esporte. Sempre bom lembrar que foi Joana Maranhão quem deu a cara pra bater, denunciando tudo o que estava errado.

Ela vem em um momento de incerteza quanto a patrocínios. Os Correios diminuíram o patrocínio. Uma crise econômica que sucedeu uma crise ética. Difícil resistir.

Ela vem com a presença de César Cielo, o campeão olímpico que não conseguiu disputar a Olimpíada em seu país. Está de volta e tem de ser comemorado. Um campeão olímpico merece respeito e ele está reconquistando o seu. Nem precisava, mas estamos no Brasil, país que devora seus ídolos ao primeiro mau resultado.

 



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Vinícius Jr. e Márcio salvam o cheirinho do Flamengo
Comentários 7

menon

Uma dúvida.

Se Vinícius Jr. não valesse um estádio (45 milhões de euros) e se não jogasse a bola que joga, capaz de encher estádios em pouco tempo, Márcio teria feito o que fez? Um pênalti tosco e desnecessário nos acréscimos do segundo tempo. De um jogo em que seu time, em queda alucinante na tabela, conseguia empatar contra um candidato ao título?

Talvez, sim. Afinal, zagueiro é como o escorpião da fábula. Conhecem? O escorpião pediu para que um sapo o ajudasse a atravessar o rio, carregando-o nas costas. O sapo se negou, dizendo que o escorpião o picaria e ele morreria. O escorpião argumenta que, se fizer isso, morrerá também, pois não sabe nada. O sapo aceita. Durante a viagem, sente a picada. Por que você fez isso? Vamos morrer. Por que eu fiz? É minha natureza, é o que eu sei fazer.

Márcio fez o que sabe fazer. Fez o que lhe ensinaram a fazer a vida toda. Falta. Na área. Cal.

Éverton Ribeiro bateu na bola com a delicadeza com que um beija-flor beija a flor. Gol.

Vitória do Flamengo, após três rodadas. E a manutenção do cheirinho, linda postura de sua torcida apaixonada, que sempre acredita.

Um cheirinho de esperança e que se transformou, por um bom tempo, em um desagradável cheiro de coisa muito ruim. Foi quando Juan, ao contrário de Márcio, foi infiel ao seu passado e à sua história e errou feio, no início do segundo tempo, permitindo o chute de Henrique Almeida que valeu o empate. Rafael Vaz não conseguiu ajudar. Deu a lógica.

Dizem que toda vitória é igual, vale três pontos. Essa, contra o Coxa, manteve a esperança de um cheirinho campeão – remota – e trouxe de volta a tranquilidade para Zé Ricardo trabalhar. Até o próximo empate.

 

 

Tags : vinicius jr



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.


Flamengo vence, Corinthians perde e mais oito palpites
Comentários 14

menon

Em 1994, estava cobrindo a Copa da Itália. Meu editor, Vittal Battaglia, pediu que eu perguntasse a pelo menos 100 jornalistas o resultado do jogo seguinte do Brasil. Corri bastante e dei conta do recado. Um dos meus entrevistados foi Gérson de Oliveira Nunes, ele, o Canhota de Ouro. Cheguei perto dele, com timidez de um perna de pau diante de um gênio, expliquei a situação e terminei fazendo o pedido.

Gostaria que o senhor me desse então o seu palpite para o próximo jogo.

Eu não dou palpite. Eu dou minha opinião. Se você quiser…

Eu quis.

Aqui, não. É palpite mesmo, pura intuição. Uma brincadeira. Ninguém precisa me sequestrar, matar, enviar carta bomba por não concordar com um ou outro ou os dez.

Vamos nos divertir porque a vida não tá fácil pra ninguém. Os palpites são meus. Só palpites. E vocês? Palpitem também Cornetem. Não custa nada.

VITÓRIA vencerá a Chapecoense e colocará pressão no São Paulo

FLAMENGO vencerá o Coritiba e Zé Ricardo conquistará um pouco de sossego para manter o clube na difícil luta pelo título.

BAHIA será novamente a zebra da rodada, vencendo do Santos  no Pacaembu

FLUMINENSE vai tirar a invencibilidade do Corinthians. Esse é palpite é apenas pela lei das probabilidades. Até quando um time – qualquer um – consegue se manter invicto no Brasileirão? Uma hora, cai.

EMPATE entre SPORT E PALMEIRAS, com Jaílson, a Pantera Negra, arrebentando

EMPATE entre AVAÍ E CRUZEIRO

PONTE PRETA vencerá o Furacão, lá em Curitiba

BOTAFOGO afundará ainda mais o Dragão, em Goiânia

EMPATE entre GREMIO E SÃO PAULO. Cueva vai marcar.

VASCO vencerá o Galo, em Minas.

 



*As opiniões expressas neste blog são de responsabilidade do autor.